Arquivo do blog

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Ela superou a endometriose




Para quem ainda tem dúvidas sobre o poder da alimentação saudável e dos exercícios no controle e superação da endometriose, veja a experiência relatada no artigo “Entre os exames e os pacientes”, publicado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) (http://www.fm.usp.br/tutores/bom/bompt10.php):

“A Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM), segundo seu presidente, o cirurgião Guido Corrêa de Araújo, procura atualmente conscientizar professores e alunos das escolas médicas a voltarem a realizar uma medicina mais humana, que valoriza o contato do médico com o paciente. Afinal, como diz Atta, ‘o principal meio de diagnóstico é a entrevista com o paciente, que pode fornecer mais respostas do que qualquer exame laboratorial e, além disso, vai dizer ao médico quais exames ele deve pedir’.

Foi o que percebeu a artista plástica Mônica Cristina Pereira de Souza, 47, em 1998. Desde os 18 anos, quando identificou uma endometriose (doença na membrana que reveste o útero), ela já havia passado por diversos médicos, retirado o ovário direito, parte do esquerdo, passou por internação na UTI, fez dezenas de exames, mas continuava sofrendo com hemorragias constantes.

Há quase seis anos, depois de quase 30 anos sem resolver o problema, ela resolveu procurar um novo profissional. Na primeira consulta, Mônica levou todos os exames que havia feito. ‘Não quero ver nada disso’, disse o médico, que passou duas horas com ela, fazendo perguntas e respondendo a outras.

‘Só depois de ter vasculhado a minha vida, ele quis ver os exames. Desde então, não tenho nada. E o que o médico me receitou? Nada que outros não poderiam: dieta equilibrada e exercícios físicos. Aprendi que nem sempre a objetividade da ciência resolve os nossos problemas’, acredita.”

5 comentários:

  1. Gosto do seu blog. Ele tem me ajudado muito. Gosto do seu ponto de vista, do seu otimismo... Mas vc não tem postado mais. Como está o andamento do seu tratamento? Nos dê notícias!

    ResponderExcluir
  2. Como eu não soube disso antes? Como fui operada disso com 18 anos e ninguém sabia nada sobre essa doença? Como só ouvi falar da existência dessa doença em 2009? Será que eu estava vivendo em outro planeta? Uma tristeza tudo isso, porque hoje vejo o quanto eu já sofri com essa doença sem saber porque. Quanto minha vida poderia ter sido melhor, quanto meu ânimo e disposição foi consumido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito de mim mesma também foi consumido. E um tanto se refez. Há um caminho melhor, independentemente do que tenha nos acontecido. O corpo tem uma capacidade incrível de se recuperar, de se refazer. Mesmo após tudo que aconteceu comigo, agora seguro meu pequeno filho em meus braços. Não podemos voltar ao passado, mas podemos modificar o passado que há em nós, com o amparo de Alguém que nos ama mais do que tudo. Obrigada por escrever. Carinho,

      Excluir
  3. Ola!!
    Descobri seu blog ontem!!
    Adorei tenho tanto a falar, a perguntar que nem sei por onde começar.
    Meu nome é Paloma tenho 32 anos e a 3 anos tento engravidar e não consigo.
    Só recebi o diagnóstico de endometriose em Dezembro de 2013. Desde de nova sempre senti muitas cólicas, mas sempre achei que era normal tomei 9 anos de anticoncepcional, parei achando que iria engravidar,mas não aconteceu.Trabalhei 12 anos em uma instituição financeira, pelo estresse tive síndrome do pânico, caiu cabelo, perdi saúde, voltei ao trabalho e pedi para sair porque aquele lugar estava me matando, também sou evangélica, e os artigos que li ontem me ajudaram muito a resgatar minha fé.Gostaria de saber se você conhece algum especialista em endometriose que seja do Rio de Janeiro.Necessito de um médico como esse que vc encontrou que nos trate como pessoas e possa ser sensível a minha dor.Obrigada por partilhar suas experiências, está sendo um canal de esperança para mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paloma:

      Como escrevi no blog, eu também vivencie muito estresse no trabalho, usei anticoncepcional... A endometriose, apesar dos pesares, também ajudou a fortalecer minha fé. Sem Deus, eu não teria pensado nesse novo caminho, nem teria encontrado forças para fazer as mudanças. Escrevi sobre isso no blog: http://avidadejesus.blogspot.com.br/2013/12/endometriose-religiao-e-espiritualidade.html.

      Nesse texto que coloquei no blog, para o qual vc enviou o comentário, a mulher encontrou um bom médico. Não sei quem ele é, mas fico feliz em sabe que é um médico consciente. Eu não conheço nenhum médico no Rio.

      No meu caso, eu assumi meu tratamento e busquei em médicos os exames necessários para avaliar se eu estava no caminho certo. Sempre faço acompanhamento. Aqui está o link com o resumo de meu tratamento: http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html

      Desejo sucesso em seu tratamento. Obrigada por escrever. Carinho,

      Excluir