Arquivo do blog

sábado, 2 de abril de 2011

Clínicas de saúde

2 de abril de 2011
Há sete anos, minha mãe ficou doente. Antes de eu me envolver com minha luta pessoal contra a endometriose, precisei lutar por ela, minha mãe. Muitas consultas e exames, até que chegaram a um diagnóstico mais preciso. Foi uma grande luta pela sobrevivência. Hoje, ela está bem.

Naquela época, meu marido ganhou um prêmio num sorteio: quinze dias em uma clínica natural. Minha mãe estava se recuperando, e conseguimos transferir esse prêmio para ela. Nas duas semanas em que ficou na clínica, ela renovou a saúde e aprendeu mais sobre um estilo de vida saudável. Após dois anos, uma de minhas tias que teve câncer também ficou em outra clínica de saúde, depois do tratamento convencional.

Sabemos que precisamos mudar a alimentação, mas como mudar? O que comer? Como incorporar novos hábitos saudáveis? A leitura ajuda muito a adquirir o conhecimento correto. Essa tem sido a minha opção: ler. Mudar não é simples. Perseverar não é mágico. Saber que precisamos de mudança não é a mesma coisa que saber como e de que forma faremos a mudança. Adotar um novo estilo de vida saudável é uma ciência.

Nunca fiz tratamentos nessas clínicas de saúde, mas usei o serviço de hotelaria de uma delas por conta de um trabalho que estava realizando na região. Nessa ocasião, conversei com uma jovem jornalista do jornal o Estado de S. Paulo que estava, junto de sua mãe, fazendo os tratamentos de saúde. Ela falou sobre o stress de sua atividade jornalística. No café da manhã, em meio a um cardápio totalmente diferenciado, saudável e delicioso, conversei com um médico pediatra aposentado pela Universidade de São Paulo (USP) e sua esposa, uma enfermeira. Todos estavam ali em busca da renovação da saúde.

Não são spas, são clínicas de saúde. Para quem deseja iniciar uma nova vida, refazer as forças, fortalecer o organismo e aprender sobre a ciência da saúde no dia a dia, é uma ótima opção. A filosofia de saúde dessas clínicas vem dos Estados Unidos. Um dos maiores centros de inspiração é a Universidade de Loma Linda, na Califórnia, a meio caminho entre Palm Spring e Los Angeles. Segundo a revista National Geographic Brasil (Ano 6, Nº 68, Novembro de 2005, p.70-75), a reforma de saúde desenvolvida ali começou no século 19 com pesquisas empreendidas por John Harvey Kellogg (que mais tarde fundou a fábrica de cereais) e Ellen G. White, entre outros. Um estudo concluiu que as pessoas que adotam o estilo de vida de Loma Linda vivem em média quatro a dez anos mais que o californiano médio. Entre os entrevistados está Marge Jetton, uma adventista super bem-humorada, que aos 101 anos, dirigia seu Cadillac Seville lilás para fazer trabalhos voluntários em um asilo de “velhinhos”. A National Geograph relata: “Deus talvez tenha a ver com a vitalidade de Marge e talvez não tenha; mas a religião [que propaga hábitos saudáveis] dela decerto tem.” Há uma reportagem feita por Ana Paula Padrão em Loma Linda (http://www.youtube.com/watch?v=2PYfrvaQ36w). Muito interessante.

No Brasil, as clínicas de saúde que seguem a filosofia de Loma Linda estão localizadas no estado de São Paulo. Há sites dessas clínicas que também oferecem alguma informação sobre saúde. As clínicas que conheço são: 1. Clínica Vida Natural – Fica em São Roque, SP. Tem horta orgânica, canteiro de ervas medicinais, vários tratamentos. 2. Centro de Vida Saudável (Cevisa) – Fica em Engenheiro Coelho, SP. 3. Retiro de Recuperação da Saúde – Fica em Jarinú, SP. É mais simples, mas falam muito bem dessa clínica. 4. Clínica Retiro - Centro de tratamentos naturais – Fica em Itapecerica da Serra, em São Paulo. É um lugar muito simples. Mas para quem mora em São Paulo capital, pode ser uma alternativa.

A única observação que faço sobre essas clínicas é a respeito do preço. Em 2008, quando mandei um e-mail para uma das clínicas, fui informada que um pacote individual de 21 dias estava por volta de $ 5.000 reais. Concordo que há gastos altos para manter o serviço diferenciado, mas acho que deveriam oferecer também alternativas para pessoas sem poder aquisitivo. Deveriam se empenhar em ampliar o acesso da população aos tratamentos que oferecem e à informação de saúde. Quantas pessoas conhecem essas clínicas? Quantas já tiveram acesso a esses tratamentos tão revolucionários para a saúde? Quantas têm, ao menos, informações sobre elas e os princípios de saúde que defendem? Mais do que um conceito ou uma ciência, saúde é missão - uma missão sagrada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário