Arquivo do blog

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Endometriose leve: há motivos para preocupação?

7 de julho de 2010

Receber o diagnóstico de endometriose não é, necessariamente, um atestado de doença incapacitante, de infertilidade ou dor. De acordo com artigo publicado pela revista Fapesp, “alguns autores descrevem a endometriose superficial como sendo um fenômeno cíclico e normal na vida de uma mulher”. A afirmação decorre de um estudo feito na Faculdade de Medicina do ABC com 80 mulheres férteis portadoras de endometriose mínima ou leve para avaliar a eficácia do exame CA 125. Segundo os pesquisadores, existe “a hipótese de que achados acidentais de endometriose mínima e leve podem não ter significância clínica, e que é provável que a progressão da doença ocorra como resultado de alterações genéticas e imunológicas”.

Ser diagnosticada com endometriose leve ou mínima (grau I) não deve ser encarado como um motivo de preocupação extrema. Se é esse o seu caso, fique tranquila. Procure seu médico e lembre-se: pode ser absolutamente “normal”. Por outro lado, não se deve confundir a tranquilidade com descaso ou descuido com a saúde. O foco de endometriose tem a possibilidade de se expandir devido a alterações genéticas ou imunológicas. Assim, é importante fortalecer sempre o sistema imune, com alimentação saudável, exercícios físicos diários, informações estratégicas, emoções positivas e combate a fontes de estresse, entre elas a preocupação excessiva com a endometriose.

Preocupação libera substâncias na corrente sanguínea (entre elas, os corticóides) que provocam inflamações no corpo. A endometriose é uma inflamação, em correspondência direta com o emocional. Dessa forma, a necessidade de se buscar paz, confiança, esperança, equilíbrio, felicidade, gratidão, fé vale para a prevenção e para o tratamento da endometriose seja ela mínima, leve ou profunda. Somos mais do que a endometriose pode nos condicionar a ser.

Uma resposta para a ansiedade e o medo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário