Arquivo do blog

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Food Matters: endometriose e nutrição


7 de fevereiro de 2012

Deixando para trás os dias corridos que se foram, quero reiniciar 2012. Após um mês de trabalho e viagens, voltei para casa. De volta ao lar, às reflexões, aos aprendizados, à busca por saúde. Assisti nessas férias-de-labor ao documentário Food Matters. Seja o alimento o seu remédio. Hipócrates acreditava que o corpo humano tem uma capacidade inata de curar-se. Ele falava: “Primeiro, não se machuque. Depois, deixe o alimento ser seu remédio.” Para quem enfrenta os machucados abertos pela endometriose dia a dia, esse documentário é um curador de feridas.

Como tenho seguido o caminho da nutrição para superar a endometriose e alcançado excelentes resultados, o documentário se prova em mim. Apesar da endometriose profunda e da doença autoimune desencadeada pela alta de estrógeno no corpo, meu organismo demonstrou sua capacidade inata para a cura. A endometriose diminuiu. O autoimune voltou a níveis normais. Minhas feridas estão sob controle. Por isso, desejo compartilhar essa mensagem. Não concordo com todas as informações em Food Matters. Minha ênfase não está em criticar ferozmente a medicina alopática – que nos traz benefícios –, mas em receber confiantemente a mensagem da nutrição, escutar cada ensinamento, ouvir os médicos que se dedicam a essa ciência da vida, renovar o estilo de vida, assumindo a responsabilidade pela própria saúde. Parece simples, mas não se trata de um paliativo apenas. O alimento e os hábitos saudáveis (exercícios físicos, emoção sob controle, paz etc) não são meros coadjuvantes dispensáveis. Diferentemente de muitos tratamentos agressivos, o alimento-remédio em vez de usar a força química poluidora e paliativa, que retalha células doentes e saudáveis, aciona o organismo com delicadeza e lhe comunica força para que ele se cure integralmente.

Este documentário é como uma daquelas consultas médicas tão esperadas com um especialista capaz de identificar a causa dos focos que se escondem no organismo e despertar a necessidade de mudanças conectadas naturalmente com o funcionamento do corpo. Ele nos estimula a buscar um caminho próprio, trilhas pessoais, metodologias alternativas aliadas aos avanços revolucionários da simples e milenar ciência nutricional. A comida é importante.

PS.: Hoje, vou responder a todos os e-mails que me enviaram. Agradeço muito pela troca, pelas palavras de estímulo e pelo carinho!

Minha receita contra a endometriose, em linhas gerais:

Um caminho, entre tantos

Gramáticas da nossa vida

video

video

video

video


video

video



Nenhum comentário:

Postar um comentário