Arquivo do blog

domingo, 1 de abril de 2012

Endometriose e exercícios físicos



1 de abril

Para vencer a endometriose – conforme conto no texto O gigante adormecido –, eu pratico exercícios físicos diariamente. Estou absolutamente convencida de que o exercício físico é indispensável. Talvez você ainda não tenha modificado sua alimentação. Quem sabe ainda tenha uma vida estressante e sofra com emoções negativas. Mas se você faz exercícios regularmente, com a intensidade e duração corretas, tem em suas mãos o mais sofisticado e valioso remédio contra a endometriose. Além de contar minha experiência, acho importante compartilhar algumas pesquisas científicas sobre a relação entre endometriose e atividades físicas.

1. Fazer pouco exercício não vai mudar muita coisa – Não há escolhas. Não há receitas alternativas. Para combater a endometriose, o exercício deve ser praticado com frequência, intensidade e duração adequadas. Uma pesquisa publicada no American Journal of Epidemiology, da Universidade de Oxford, investigou a relação entre exercícios físicos e endometriose. Os pesquisadores acompanharam um grupo de mulheres durante dois anos. Depois disso, foram feitos exames nos ovários dessas mulheres. Surpreendentemente, o grupo de mulheres que praticaram exercício com alta intensidade, maior frequência e duração teve o risco reduzido em 76% para endometriomas (cisto de endometriose no ovário). Já as mulheres que praticaram exercícios, mas com baixa frequência, intensidade e duração não tiveram essa redução de riscos. “Reduced risks were not observed for activities oflower intensity" (Redução de riscos não foram observadas para atividades de baixa intensidade). De acordo com recomendações em saúde pública, o exercício deve ser praticado por três ou mais vezes na semana, durante 30 minutos no mínimo, com alta intensidade, no mínimo por 10 meses ao ano (DHILLON, Preet K., HOLT, Victoria L. Recreational physical activity and endometrioma risk. In: American Journal od Epidemiology. (2003) 158 (2): 156-164.
)

2. Sem reduzir o estrógeno e o açúcar no sangue não tem como vencer a endometriose. O exercício físico é fundamental para essa redução – Pesquisa realizada na Universidade de Harvard, pelos departamentos de Medicina e Saúde Pública, detectou uma diminuição de 40 a 80% no risco de endometriose em mulheres que praticam exercícios físicos com frequência. “Physical activity has been hypothesized to be protective since endometriosis is an estrogen-dependent disease and physical activity may increase levels of sex hormone binding globulin (SHBG), which would reduce bioavailable estrogens. Increased physical activity also reduces insulin resistance and hyperinsulinemia, which has been hypothesized to be related to endometriosis (A atividade física tem sido vista teoricamente como um fator protetor contra a endometriose, uma doença estrógeno dependente. A atividade física pode aumentar os níveis de globulina ligadora de hormônios sexuais (SHBG), que reduz a biodisponibilidade de estrógenos. O aumento da atividade física também reduz a resistência à insulina e a hiperinsulinemia [níveis excessivos de insulina no sangue], que tem sido relacionadas à endometriose”, afirmam os pesquisadores. Essas afirmações são estratégicas. Sem reduzir o estrógeno e o açúcar no sangue, não tem como vencer a endometriose. Minha sogra é diabética. Ela mede a glicemia no sangue por um método simples, em casa. Frequentemente, ela mede a glicemia antes e depois de exercícios físicos. Após a prática de uma caminhada vigorosa, o índice de açúcar no sangue despenca de imediato. Precisamos comer menos açúcar, reduzir o açúcar no sangue. Para alcançar essa meta, o exercício físico vigoroso é imprescindível. (VITONIS, Allison F. et al. Adult physical activity and endometriosis risk. In: Epidemiology (2010), jan., 21(1): 16–23.


3. O exercício físico limpa a célula. Esse processo de limpeza é essencial para combater a endometriose – A todo momento, as células produzem resíduos – vírus e bactérias mortos pelo sistema de defesa, estruturas da própria célula que já funcionam mais, restos de substâncias digeridas, toxinas acumuladas nas células. Todo esse subproduto estragado precisa sair do corpo, para que ele funcione adequadamente. Segundo pesquisa realizada pela Universidade do Texas e publicada na revista Nature, o exercício ajuda na limpeza da célula ao promover a autofagia (um processo pelo qual a célula remove seus próprios componentes danificados, se auto-consome). A autofagia nos protege contra o câncer, desordens neurodegenerativas, infecções, doenças inflamatórias, resistência à insulina, endometriose. Um estudo publicado no Biology of Reproduction mostra a importância da autofagia para a saúde do endométrio e na regulação do ciclo menstrual. A ciência avança no conhecimento da bioquímica corporal. Mas a conclusão é simples: assim, como o banho diário promove a higiene externa, o exercício diário nos limpa internamente. (LEVINE, Beth. Exercise-induced BCL2-regulated autophagy is required for muscle glucose homeostasis.) (
CHOI, JongYeob. The role of autophagy in human endometrium. In: Biology of Reproduction (2011), nov. 16).



As duas primeiras pesquisas falam dos benefícios do exercício para a prevenção de focos de endometriose. Portanto, mesmo que já tenhamos endometriose, também precisamos evitar o aparecimento de novos focos. Mas pelo fato de já ter a doença, o compromisso com o exercício diário deve ser maior. Para prevenir é preciso menos esforço do que para remediar. Para mim, a atividade física é prevenção e remédio. Da leitura desses textos, aponto a seguir alguns hábitos práticos que tenho. Esses hábitos têm feito os focos de endometriose diminuírem.

1. Caminho todos os dias, duas vezes por dia, com tempo de 45 minutos em cada caminhada. A intensidade é média. Nunca fico extremamente cansada. Tenho sempre a sensação de estar renovada após o exercício, e não esgotada.
2. Caminho num percurso em que aclives e declives acentuados. Isso exige mais da capacidade cardiorrespiratória. Não é uma caminhada contemplativa. É um exercício físico vigoroso, embora não seja estafante.
3. Procuro me movimentar durante o dia. Trabalho sentada, frente ao computador. Após uma hora sentada, procuro fazer uma caminhada de uns 5 minutos, além de alguns exercícios funcionais.
4. Parece óbvio, mas a higiene pós-exercício é essencial para limpar a pele e impedir que toxinas liberadas pelo suor sejam reabsorvidas. Imediatamente após cada caminhada, é importante tomar um banho (de preferência frio). PS.: A necessidade de limpar a pele vale também após uma noite de sono. Passar uma toalha úmida pelo corpo todo, logo após uma noite de sono, ajuda a remover as toxinas expelidas e a estimular a circulação sanguínea.

Leia também: Exercícios físicos combatem a endometriose

Minha receita contra a endometriose, em linhas gerais:

Como superei a endometriose – Parte I

Como superei a endometriose – Parte II










6 comentários:

  1. Amiga estou a cada dia lendo um pouco da sua historia, descobri a um mes que tenho endometriose, estou como vc pesquisando muito sobre o assunto, e estou tentando engravidar, e acredito que a dificuldade esta na endometriose, meu medico pediu pra continuar tentando pq ele acredita que seja leve meu CA 125 deu 53, mas caso eu não consiga engravidar até o final do ano ele vai fazer a laparascopia, estou a seguir alguns conselhos que vi aqui.. caminhadas, sem cafeina ou chocolates, mas tenho fé em Deus que ele vai me abençoar, e quem sabe eu nem precise fazer a laparascopia, mas caso preciso só peço a Deus coragem e tranquilidade. Parabéns pelo blog... Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá, respondi seu comentário no texto "Respostas aos Comentários" (http://endometrioma.blogspot.com.br/2012/05/respostas-aos-comentarios.html).
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Descobri que estou com endometriose, não sei como lidar com isso, a minha medica não mim esplica muito bem .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amiga:

      Obrigada por escrever. Sugiro que converse melhor com sua médica. Se você não sentir confiança nela, busque outro médico. Faço meu tratamento sem usar remédios. Há quatro anos, não tenho dores e os focos de endometriose diminuíram. Também não foi preciso fazer nenhuma cirurgia. Eu mudei meu estilo de vida. Leia este blog. Nele conto como tem sido meu tratamento. Qualquer dúvida, estou à disposição. Desejo muito sucesso em seu tratamento. Com carinho,

      Excluir
  4. Minha esposa tem endometriose, o sonho dela é ser mãe + a madica dela disse que se ela engravidar pode ter risco pra ela ou para o bebe... queria muito realizar o sonho dela e gostaria que me ajudasse a como eu poderei ajudá-la a controlar ou diminuir a endometriose para que possamos realizar nosso sonho de ser pais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elio:

      Envie seu e-mail. Não vou publicá-lo. Você gostaria de conversar com meu marido? Ele poderia compartilhar a experiência dele. Ele me ajudou muito. Com o apoio dele, e um novo estilo de vida, a endometriose diminuiu, não tive mais dores e agora estou grávida naturalmente, sem o uso de remédios ou de cirurgias. Seu desejo de ajudar sua esposa é muito importante! E você pode sim fazer muito para ajudá-la. Um abraço!

      Excluir