Arquivo do blog

domingo, 30 de junho de 2013

Palavras de esperança



30 de junho de 2013

Tenho 30 anos e em 11/ 11/11 descobri que tinha endometriose.

Fiz um ultrassom específico demorado e ouvia o médico passando vários números em tom de voz baixo para a secretária, achei estranho. No final do exame, percebi que a secretaria tentou me agradar, tratou-me com um carinho diferente. Depois descobri o porquê.

Ao receber o laudo de duas páginas não me preocupei porque não entendi uma palavra. Ao levar o exame ao médico eu tive a consulta mais marcante da minha vida. Uma cirurgia de 8 horas ou mais, muito delicada, com retirada de parte do intestino, apêndice, seria necessária. O médico não pintou a pílula de dourado. Foi direto ao ponto.

Eu tremia o queixo, as pernas, quase desmaiei. Sou uma pessoa tranquila, controlada, não exagero nas reações. Na hora, senti que começava uma longa caminhada, mas, como sempre, não demonstrei.

Passei a noite em claro. Bem cedo sentei na internet e comecei a pesquisar. A primeira coisa que li foi “portadoras de endometriose”. Já tive uma má impressão, pois se você “porta” uma doença quer dizer que não há remédio ou cirurgia que cure. Como as pessoas portadoras de diabetes.

Num mar de informações, perdida, tentando filtrar conteúdos, suplicando por algum que me tocasse eu, enfim, achei o endometrioma.blogspot.com.br. É difícil falar sobre esse momento. Eu fui tocada de maneira tão inexplicável pelo conteúdo, pelo sentimento da editora do Blog que eu não sei mensurar.

Li todos os posts do Blog em um único dia. Sentia como se eu não tivesse mais doença. Saí para tomar sol, caminhei, amassei um dente de alho e comi com água e limão espremido.

Meu marido chegou em casa à noite e encontrou outra mulher. Amo meu marido, e esse amor se agiganta principalmente porque ele me ouve, presta atenção em mim, temos qualidade de tempo juntos, por mais que ele tenha mil problemas também. Ele doa seu tempo. Ele ouviu naquela noite eu falar do endometrioma.blogspot.com.br por um longo tempo.

E assim comecei minha jornada de reeducar meu paladar, perceber meu corpo, minhas dores, minhas tristezas, alegrias. Autoconhecimento que eu nunca tinha experimentado. Talvez seja uma característica comum das mulheres com endometriose a doação ao outro.

Um post muitíssimo interessante do blog é Mulheres em Pote de VidroDe fato, ouvimos muito por aí que a tal da endometriose é a doença da mulher moderna, trabalhadora, multitarefas, estressada, pilar da casa, que não sabe dizer não (eu ouvi tudo isso de médicos muito renomados).

Isso significa o quê? A culpa é minha? A minha amiga que não se preocupa com a dor do outro, não se coloca no lugar de ninguém, só pensa em si mesma, não tem endometriose?


Quantas perguntas tolas para frases que não deveriam ser ditas. Mas eu disse tudo isso, porque eu raramente prestava atenção em mim, no meu corpo, nas minhas dores. Até ouvi outro médico me dizer que o meu “limiar de dor” era bastante alto. Mas mal ele sabia que o meu limiar de esperança também era bastante alto.



Talvez a minha preocupação com o problema do meu pai, da minha mãe, do meu marido, da minha irmã não me deixavam parar para notar a minha dor. Eu não percebia essa situação, apenas vivia no piloto automático.

O fato é que quis de todo o coração me aproximar da mulher por trás do blog. Eu mandei um e-mail a ela abrindo o meu coração e pedindo ajuda. Queria me contagiar com a sua força, ouvir suas histórias.

Foi assim que começou uma grande amizade. É incrível como um acontecimento ruim (a descoberta de uma doença) pode lhe trazer coisas incrivelmente boas.

Esses dias fiquei pensando: “imagine se a editora do blog tivesse tido a ideia de criar esse canal de comunicação, mas nunca tivesse tirado do papel. Quantas coisas nós idealizamos, mas não fazemos. O primeiro passo nunca é dado".

Esse foi um grande exemplo para mim. Faça. Escreva. O paradoxo é que a solidão do momento de escrever sozinha é logo compensada pela pulverização da ideia aos quatro ventos. Quantas brasileiras na Europa, na Ásia, na África, na América.

Assim como eu, depois de ser golpeada com a notícia quantas mulheres procuram ajuda na internet? Encontramos médicos se autopromovendo, blogs querendo atrair leitoras para ganhar anúncios, notícias trágicas.


E eu encontro alguém tentando gritar para o mundo: “ei, existe uma saída. A saída está aí dentro de você. É sua vontade de mudar. Olhe para a natureza. A água, o sol, o mar, a terra, a respiração, o vento no rosto durante a caminhada”.

Alguém me ensinou que eu posso trocar o círculo vicioso da vida moderna com suas consequências pelo círculo virtuoso VIDA. A realidade é que a vida moderna com tantas informações, tecnologias e chamarizes em 3 D  nos cegam para a beleza das coisas simples. O pássaro perto da janela, as cores do pôr do sol, o cheiro da chuva.

Eu agradeço a Deus pelo blog e pela vida por trás do blog. Quisera eu imaginar que um dia eu iria agradecer a Deus por ser portadora de endometriose.

E muita dessa gratidão a Deus decorre do meu encontro com o blog. Ele me ajudou a dar outro enfoque à doença. Não combater os efeitos, mas buscar as causas. Por causa disso tudo, eu MUDEI. Mudei o meu olhar sobre o mundo, sobre o trabalho, sobre a família, sobre eu mesma.

Confesso que não é simples assim. Hábitos arraigados, vida agitada, trânsito, poluição. Gatilhos que te puxam como areia movediça.

Quem disse que seria fácil?

Nisso consiste a beleza da vida. O aprendizado constante. Avanços e retrocessos. Desfrutar as alegrias, chorar as tristezas. Receber o desprezo de uma amiga ao lado. Encontrar um ombro amigo numa terra nunca imaginada ("Em todo tempo ama o amigo e na angústia nasce o irmão” Prov. 17:17).

Hoje, especialmente, me senti inspirada a expor meus sentimentos. Alguns ficaram ainda recônditos, outros não consegui expressar. Que essas palavras sirvam para te alegrar e principalmente te inspirar a continuar. Exercitar o seu dom de escrever e nos tocar.

Uma coisa posso dizer com todo o coração: Enquanto houver vida, haverá esperança.

Com muito carinho


5 comentários:

  1. (Resposta Blog)

    Minha querida amiga:

    Você me retirou do lugar fixo para estar no mundo. Muita coisa se transformou depois disso. As palavras nos aproximam, mas a amizade nos recria, nos leva a um novo nascimento.

    Fui operada no dia 08/08/08. Três anos antes de seu diagnóstico, iniciei esse caminho. Também tremia ao ouvir o médico. É assim até hoje, em cada exame. Estou sempre tensa ao entrar em um consultório médico, ao menos pela primeira vez. Quando é assim, quase sempre escuto a clássica fala: “você é ansiosa, você é tensa...”. Então, lembro-me de Hipócrates, e procuro outro médico, pois o “dever do médico é curar às vezes, mas consolar sempre”. Onde encontrar consolo?

    Como você me disse de maneira muito sábia, quando eu estava desacreditando: “há médicos bons.” Há, mesmo. Além de conhecedores de sua ciência, cultivam a bondade.

    Nesse meu início de busca de cura, pensei no Médico dos médicos. Eu lia sobre Ele. Em época de caos, quando a violência, a miséria, a corrupção dissolviam o Império Romano, Ele oferecia cura ao corpo e à mente cansados. Ele curava por vezes e consolava sempre. Um consolo que Ele comparou à fonte de água VIVA, a uma nascente pura, acessível, de graça, sem preço, sem comércio a que todos, sem qualquer distinção poderiam ter acesso caso quisessem. Uma escolha. Se foi verdade, então teria de ser verdade hoje. Se para crer, eu precisava nascer de novo, então eu nasceria de novo. Se a mensagem é o encontro entre a paz e a justiça, entre a graça e a lei, existiria por certo um caminho racional, com suas regras, respeitando a lei de funcionamento do organismo que o ajudasse a si próprio a vencer a doença sem cura, uma volta às origens, à reflexão sobre a vida no início, um reconhecimento das tábuas da saúde.

    Em 2011, pela primeira vez, depois de muitos exames, leituras, mudanças, orações e insistência nesse caminho, os focos de endometriose diminuíram significativamente de tamanho. Em 2013, uma nova vida. Mas entre esses dois anos, eu conheci sua amizade. Um divisor de águas.

    Sua escrita poderosa, sua calma, controle das emoções, conhecimento das pessoas, fé inabalável, seu amor pelas pessoas, coragem impressionante, persistência, sensibilidade me fizeram olhar para Cristo uma vez mais e desejar ser uma pessoa melhor. Abençoada é sua família que tem você.

    E que muitas pessoas, muitas e muitas, tenham a oportunidade de conhecê-la, ouvir sua história, aquilo que Deus lhe fez e aquilo que Ele fará em sua vida. Sempre quando conheço alguém, penso que essa pessoa poderia conhecer você. Que a sua vida alcance os quatro ventos, porque é absolutamente necessário que isso aconteça.

    Agradeço a Ele por esse encontro que permitiu que eu encontrasse amizades especiais por meio do blog. Eu me fechava antes. E mais nada foi igual após receber seu primeiro e-mail.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite. Gostaria de ajuda para tentar vencer a endometriose. Depois de anos de dor sem saber de fato o que tinha, descobri que tenho endometriose profunda. Já fui em vários médicos e apesar de possuir plano de saúde, os melhores na área não operam pelo plano, apenas particular. Faria o que for preciso para melhorar e não ter que tomar esses medicamentos que nos engordam demais e transformam nossa vida (humor extremamente alterado, etc.). Gostaria de saber mais sobre a alimentação mais saudável, ou seja, um estilo de vida melhor, para que eu pudesse começar uma nova vida, não que eu tenha perdido as esperanças, apesar de todos os problemas, mantenho minha positividade em alta, pois para Deus nada é impossível só Ele tem o poder sobre a minha vida. Se puderem me ajudar eu agradeço.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite. Tenho endometriose profunda e gostaria de ajuda no sentido de melhorar o estilo de vida, com uma alimentação mais saudável, exercícios físicos, etc. Não aguento mais tomar esses medicamentos que acabam com sua vida e seu emocional. Embora tenha um plano de saúde, que não considero ruim (Bradesco), não estou conseguindo um médico do plano que me opere. Os especialistas nessa área não aceitam plano, só operam particular, e infelizmente, não possuo a quantia e nem meios de conseguir tal quantia. Assim, gostaria de ajuda para tentar reverter um pouco os sintomas desta doença. Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcela:

      Obrigada por escrever. Suas palavras são de esperança. Podemos, sim, ter esperança, pois considero que venci a endometriose e as dores e suas implicações. A mudança de estilo de vida é eficaz e Deus nos dá a força necessária para mudar, para encontrar um caminho de vida que fortalece e nos dá saúde. Como você disse, "para Deus nada é impossível". Ele cuida de nós, Ele se importa. Envie-me seu e-mail por esse espaço de comentários. Não vou publicá-lo. Entrarei em contato. Com carinho,

      Excluir
  4. Olá, seu blog é muito especial, até que enfim encontrei alguem que sabe como eu me sinto. Gostaria de mudar meu estilo de vida, pode me dizer como eu deo fazer? meu email... Deus continue te abençoado.

    ResponderExcluir