Arquivo do blog

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

A gravidez



22 de agosto de 2013



Recebi a mensagem de Michele enviada para o texto Estou grávida. Este é o 100º texto deste blog, sobre a maior felicidade de nossa vida, o maior presente de Deus: nosso bebezinho, um querido menino. Querida amiga, você faz parte dessa história.


Querida amiga, desde a primeira vez que acessei o seu blog, eu imaginei que, cedo ou tarde, esse texto aconteceria. Era uma espécie de futuro-presente, ou melhor, de um resultado muito provável diante de tantas transformações. Não que esse resultado fosse obrigatório, afinal, como já disse o outro, viver não é preciso, apenas faria todo sentido se acontecesse. Como o fez. Um resultado que hoje fala alto ao coração, que nos toca. E tudo que nos toca, tudo que nos cala, nos faz pensar, repensar, recriar, recomeçar.

Sua gravidez não gera apenas a vida de um ser, gera a esperança, gera a crença em nós mesmas. De certa forma, nos diz: ei, você aí, o comando do corpo também é seu, não só seu, mas também seu. E não é pouco. Mas, como qualquer comandante, você vai ter que ser disciplinado, atencioso e, muitas vezes, rigoroso. Com você. Lembre-se de que em suas mãos - quando ainda se tem tempo ou possibilidade-, estão órgãos, tecidos, sistemas complexos, emoções que precisam entrar em harmonia, que precisam ser comandadas, ordenadas. A desordem nos põe à deriva no nosso próprio corpo. E isso nos enfraquece a alma, afinal, um corpo não saudável mexe com as nossas emoções, sentimentos mais profundos, questionamentos existenciais, além de, muitas vezes, empatar a nossa liberdade de ir e vir.


É verdade, existem males que escapam ao nosso toque, que nascem conosco e que têm um propósito que transcende o nosso entendimento, mas para uma grande parcela de males, existe a cura, o controle ou a prevenção. E tudo isso se torna particularmente especial quando assumimos esse controle da forma natural como você, minha amiga, teve a imensa coragem de assumir. Daí esse desfecho ser tão importante. Ele sinaliza que o comando, para muitas coisas, também está em nossas mãos, e o melhor, de uma forma natural.

Esse bebezinho abençoado é o grande milagre da vida, a resposta e o agradecimento de um corpo valorizado, entendido. Poderia ter sido uma resposta diferente? Claro que sim. E você sempre foi muito terna e digna neste sentido. Mesmo nos momentos em que a vinda do bebê era apenas um sentimento, você não se desesperou, não se maltratou, não dramatizou. Pelo contrário, você curtiu a sua vida, procurou salvar os seus órgãos e nos acalentou com a tranquilidade de quem aceitava numa boa o destino. Foi logo tratando de ser feliz com o que fosse possível. Só que o quase impossível resolveu ser possível, e como a boa anfitriã que você é, o destino a incumbiu de uma ilustríssima tarefa: receber o seu filho.

Amiga, parabéns! Pela dignidade, pela coragem, pelo amor, por tudo...

Obrigada!
Um beijo grande!

Michele.

2 comentários:

  1. "Quando nada parece ajudar, eu vou e olho o cortador de pedras martelando sua rocha, talvez cem vezes sem que nenhuma só rachadura aconteça. No entanto, na centésima primeira martelada, a pedra se abre em duas, e eu sei que não foi aquela que conseguiu, mas todas aquelas que vieram antes."

    Jacobs Riis

    ResponderExcluir