Arquivo do blog

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Endometriose e fitoterapia: minha experiência com a babosa (aloe arborescens)

12/12/2013

Após fazer mudanças em meu estilo de vida, constatava, mês a mês, que a endometriose ainda crescia um pouco. Eu ainda precisava mudar muita coisa. A vitamina D, por exemplo, continuava baixa. O hábito de me exercitar não estava bem consolidado. A alimentação, embora bem melhor, não supria todas minhas necessidades nutricionais.

Minha saúde já estava bem melhor, mas era preciso mais. A endometriose é uma doença perigosa, que avança rápido. No meu caso, a situação era ainda mais preocupante, pois a doença já estava alastrada pela cavidade abdominal. Mesmo que seu ritmo de crescimento estivesse lento, devido às mudanças que fiz, ela ainda crescia um pouco.

Diante da recomendação médica de que eu deveria fazer uma cirurgia para retirar focos e um segmento do intestino, decidi ser mais rigorosa com as mudanças. Afinal, já havia perdido o ovário direito. O esquerdo estava com um endometrioma de 6 cm. Havia focos espalhados e profundos. Eu também orei. Precisava de algo que me fortalecesse, desse ao meu corpo a nutrição de que ele necessita. Se os focos não parassem de crescer, eu aceitaria a cirurgia. Não havia saída. Foi nessa fase que obtive um conhecimento inesperado.

Certo dia, meu marido me disse que havia lido em um livro a experiência de um médico norte-americano, chamado Ben Carson, que mudou seu estilo de vida e utilizou um remédio para combater um câncer de próstata. Em uma semana de uso, os sintomas do câncer desapareceram. O remédio continha em sua fórmula gliconutrientes. Pesquisando, descobrimos que os gliconutrientes estão presentes em uma planta bem conhecida aqui no Brasil, a babosa.

Eu já havia ouvido falar da planta, mas as referências não eram boas. Eu a conhecia como uma planta venenosa, tóxica. Superei o preconceito e mergulhei na pesquisa. Li dezenas de estudos científicos e encontrei um livro especial “Câncer tem cura!”, do frei Romano Zago. Cura não é precisamente algo que nos oferecem pronto. Não se espera passivamente por ela, não se cobra simplesmente por ela. A cura é algo que se constrói, com leitura, pesquisa fundamentada, respeito pela experiência de outras pessoas, esforço pessoal, apoio médico, conhecimento-chave, preces.

Esse conceito tem mais a ver com controle eficiente que, no meu caso, levou à diminuição significativa dos tumores de endometriose. É a cura contínua, que chama a responsabilidade para os nossos hábitos e escolhas, sem que nos confinemos ao lugar ao qual a endometriose, de fato, nos empurra, um lugar de dor e imobilismo. Se queremos cura, precisamos buscá-la, refletindo sobre seu significado.

Eu queria cura, eu quero cura, eu me entrego à construção da cura e seu continuum. Renunciar o paladar e movimentar-se rumo a novos conhecimentos e hábitos não é algo simples. Desafia o que somos, o que aprendemos, o que pensamos. Desafia a descrença e a confiança cega. O efeito dessa mudança no corpo também não é simples. É curativo. A endometriose, embora se comporte como um câncer benigno, não tem força suficiente para avançar em um corpo fortalecido por uma nova vida. Vida reconstruída com soluções tão simples quanto a água, o sono, o alimento, o ar, o movimento, as emoções, a fé. Essa foi a única saída efetiva que encontrei para uma doença que apesar de crônica, infiltrativa e perigosa está agora totalmente sob controle e vencida.

Li a receita do frei, fomos atrás da babosa que ele indica, fizemos o composto e usei. Após 20 dias de uso, repeti o exame e já havia uma pequena redução dos focos. Depois de seis meses utilizando o composto, com intervalos, refiz os exames. À época, já havia corrigido a vitamina D (que passara de 15 para mais de 30), estava me exercitando com mais regularidade, mais atenta à alimentação etc. Para nossa surpresa, os focos haviam reduzido, ao todo, 7 cm. Houve redução do cisto no ovário (veja abaixo o link dos exames), do foco no intestino, das aderências... O CA-125 voltou a níveis normais e o FAN, que estava com padrão 320, passou para 80. Eu me sentia forte, animada e nutrida.

De 2010, quando comecei a utilizar o composto e intensifiquei as mudanças, os focos continuaram diminuindo. Nunca deixei de utilizar o composto, mas com intervalos maiores. Este ano, engravidei naturalmente.

Eu não estava absolutamente segura se deveria ou não relatar minha experiência com a babosa. E se a planta fosse tóxica? O que aconteceria, de fato, comigo após um uso mais prolongado? Havia muitas dúvidas e eu não queria indicar algo que não sabia se era realmente seguro. Pessoalmente, eu não tinha medo. Estava decidida a correr o risco, pois havia lido pesquisas científicas o suficiente para ter segurança no uso da planta, mesmo com a casca que dizem ser perigosa. A maior evidência de todas veio com os exames, com a restauração de minha saúde.

Eu não optei por usar compostos prontos e industrializados. Não acho que teriam o mesmo efeito. Também não acredito que a babosa, apenas, teria o mesmo efeito em meu corpo se eu não tivesse mudado meu estilo de vida. Acho que, na verdade, a mudança de estilo de vida tem um impacto muito mais efetivo na saúde do que o simples uso de uma planta medicinal. Não considero a babosa uma pílula mágica que oferece saúde sem que haja esforço de nossa parte, a exemplo do que muitas vezes buscamos com o uso de remédios. Para mim, a babosa é um alimento poderoso que, em conjunto com todas as mudanças realizadas, me trouxe a vida de volta.

Conheço pessoas que utilizaram apenas a babosa e não tiveram o mesmo resultado que obtive, embora tenham sido beneficiadas. Também há a experiência de Jennifer que não precisou utilizar a babosa para superar a endometriose, conforme ela contou neste blog (Veja a história dela). Outras usaram uma vez, algumas recorreram ao composto industrializado por acreditarem que é mais seguro ou não quiseram usar a planta, sentiram medo. Na internet, há todo tipo de informação. Precisamos saber buscar fontes seguras de conhecimento científico. É uma trilha pessoal. Talvez a babosa cure tanto quanto nós mesmos estejamos dispostos a assumir a responsabilidade pela própria saúde, conhecendo a fisiologia do corpo e suas leis de funcionamento. Conhecendo, sempre.

Não vou expor uma lista de estudos científicos sobre a babosa. Considero que a decisão de usar ou não o composto deve ser construída a partir da própria experiência de leitura e da observação do organismo. É preciso ler e buscar informações sobre toxicidade, formas de uso, teste para saber se somos alérgicos ou não, composição da planta, interação com outros medicamentos... Esse é um desfaio pessoal de pesquisa.

Não sei quais serão os efeitos colaterais do uso desse composto a longo prazo. Por enquanto, ao fazer exames para avaliar o fígado e os rins, tudo está normal. Essa não é uma escolha de fuga, mas de confrontação. Por isso, fiz tudo com acompanhamento de exames médicos periódicos.  O que posso dizer agora é que essa planta poderosa, aliada ao estilo de vida, mudou minha vida. Mas cada um deve seguir seu próprio caminho, submetê-lo a constante avaliação e buscar fundamentos científicos para suas escolhas.

Compartilho a receita que fiz e o modo como utilizei a babosa:

Ingredientes:
500 ml de mel puro (de preferência mel de laranjeira, assa-peixe, mel fino)
1 colher de sobremesa rasa de cachaça (de preferência orgânica)
2 folhas de babosa (da espécie aloe arborescens. Veja a foto abaixo e pesquise sobre a espécie), com casca, de tamanho médio ou grande, sem os espinhos laterais. As folhas de cima, não muito novas, são as melhores.
2 potes de vidro pequenos, com boca mais larga.

Modo de fazer:
Esterilizar os potes de vidro com água fervente (Busque informações sobre métodos de esterilização). Encapar com plástico preto.

Colocar o mel e a cachaça no liquidificador. Limpar as folhas da babosa com um pano úmido. A babosa tem que estar cinco dias sem ser molhada. Coletar as duas folhas, com o mínimo de claridade indireta (a luz oxida o princípio ativo). Retirar os espinhos e cortar em pedaços. Colocar no liquidificador. Bater. Colocar nos recipientes de vidro esterilizados, encapados com saco preto.  Conservar na geladeira.

Modo de usar:
Tomar uma colher rasa de sobremesa três vezes ao dia, 30 a 20 minutos antes das refeições. Tomar no escuro, para os princípios ativos não oxidarem. Tomar toda a receita. Fazer um intervalo de 10 dias ou mais para tomar outra receita, se necessário.



Obs.: 1. Usar folhas de plantas sem flor; 2. Colher depois de 5 dias sem chuvas; 3. Buscar plantas que não estejam expostas a fumaças, poluição etc.; 4. Usar mel de procedência certificada, pois muitos são à base de açúcar. Eu utilizo mel e cachaça orgânicos; 5. Não utilizar carnes ou produtos de origem animal durante o uso do composto. Adotar uma alimentação natural; 6. Fazer exercícios físicos diariamente, expor-se ao sol e beber bastante água pura.

Exames médicos:


1. Data: 28/08/2010. Medidas do endometrioma: 6.19 x 4.66 x 5.97 cm Veja os exames aqui:http://exames1.wordpress.com/

2. Data: 26/02/2011. Medidas do endometrioma: 4.30 x 3.11 x 3.98 cm .Veja os exames aqui:http://exames2.wordpress.com/

3. Data: 05/10/2012. Medidas do endometrioma: 3.47 x 2.87 x 3.47 cm. Veja os exames aqui:http://exames3.wordpress.com/

41 comentários:

  1. Se por um lado ao ler estes testemunhos fico convencida, por outro tenho receio das minhas opções que vão contra as recomendações do meu Doutor, que tanto confio e sei que fez um trabalho maravilhoso em mim.
    Fiz sempre o que ele achou que devia fazer, desde que fui ter com ele recuperei a minha qualidade de vida, mas já lá vão 2 anos a tomar a pílula contínua. Decidi parar, queria tanto ser mãe :(
    Mas só tive três menstruações e já reparei que aumentaram novamente os focus de endometriose não só pelo aumento das dores, mas também faço toque :(
    Já há 2 anos que ando a mudar o meu estilo de vida...
    O bem da dieta é que finalmente regularizei o meu intestino e não ando a acumular toxinas. Acho que a pílula nunca me fez mal por causa da dieta e do exercício, mas contava que a endo não voltasse a crescer :(
    Estou muito magrinha, só com 41Kg, acho que com 9 anos pesava mais que hoje :(
    Não tenho as mesmas dores, mas é inevitável, fragilizam-me, fazem-me duvidar se vai resultar em mim e se estou a fazer a escolha certa...
    Tenho seguido muitos dos seus conselhos, vou seguir mais este...

    Obrigada pela partilha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ângela:

      Não podemos desistir e precisamos refletir sobre nosso tratamento. Se a pílula contínua é um tratamento eficaz, se ela trata realmente, então após a interrupção do uso, o organismo deveria estar mais fortalecido e não o contrário. Ela deve conceder independência ao organismo.

      Depois dos bons resultados, passei a usar o composto da babosa ocasionalmente. Não mantive uma dependência em relação ao composto, pois o organismo está fortalecido o suficiente para prosseguir saudável sem remédios, mesmo sendo fitoterápicos. Mantenho as mudanças de estilo de vida, com afinco, e isso farei sempre. Antes de fazer as mudanças, eu estava emagrecendo muito, pois o FAN (Fator antinuclear) estava cada vez mais alto. Estava com menos de 47 Kg. Depois de todas as mudanças, voltei ao meu peso normal. Ganhei uns 4 kgs. Fortaleci-me. Essa planta oferece nutrição, nutrientes de alta qualidade. A mudança de estilo de vida é essencial, em todos os seus aspectos. Embora seja importante retirar alimentos prejudiciais, o mais importante é quais alimentos e nutrientes colocaremos na dieta. Precisamos de nutrição.

      Certa vez, perguntei a um especialista em endometriose da USP: “se eu mudar meu estilo de vida, a endometriose poderia ficar sob controle?”. Ele me respondeu que achava que sim, mas acrescentou: “Ninguém muda.” Ele tem, de certa forma, razão. Como mudar no mundo de hoje, que nos empurra para uma vida de muitas correrias, incompatíveis com o tempo necessário para se exercitar, dormir o tempo necessário, respirar profundamente, descansar, cuidar das emoções, cozinhar, preparar o próprio composto fitoterápico... Eu pedi demissão de meus empregos fixos e passei a fazer freelas, mas sem acumular trabalho. Coloquei-me na contramão da correria em que estava imersa.

      É possível fazer todas essas mudanças no estilo de vida e não mudar o ritmo de trabalho? Talvez. Mas essa não foi minha experiência. Eu desacelerei.
      Acho que precisamos refletir com cuidado sobre nossas prioridades, profissão, tempo disponível. Se não for possível fazer todas as mudanças de estilo de vida, talvez o caminho seja seguir as recomendações e usar os remédios hormonais, além de outras prescrições médicas, pois a endometriose é uma doença que avança rápido. Mesmo sendo um controle artificial que pode não resultar realmente em controle, é um método mais prático e mais condizente com o estilo de vida exigente dos tempos atuais. Além disso, uma ou outra mudança de estilo de vida pode beneficiar a mulher, mesmo que ela não tenha condições de fazer todas as mudanças. É como você disse, com certeza a dieta e os exercícios ajudaram a minimizar os efeitos colaterais da pílula. Isso é real.

      Fiz minhas escolhas e as mudanças assumindo todo o risco. Não adotei um caminho conciliatório. Deixei os hormônios sintéticos e segui em direção oposta. Se não surtisse resultado, aceitaria me submeter à cirurgia. Apesar de assumir o risco, jamais deixei de fazer acompanhamento médico. Paguei por bons exames para ter o diagnóstico e o acompanhamento posterior. Fui sincera com minha médica, na época. Disse-lhe que minha opção era essa que relato no blog, falei da babosa. Ela não lida com isso, apenas receita hormônios, seguindo o protocolo e diretrizes médicas. Mas ela me ouviu. Ela aceitou avaliar minha saúde diante de minha escolha. Em uma das últimas consultas, diante de tantos resultados positivos, disse-me: “continue nesse caminho.” Disse-me que jamais havia tido resultado semelhante em seu consultório, que essa experiência a fazia acreditar na medicina.

      Estou suficientemente segura para dizer que essa escolha salvou minha vida. Por isso, também estou suficientemente segura em compartilhá-la. No entanto, entendo o quanto pode ser difícil tomar essa decisão. Por isso, cada mulher deve refletir sobre seu tratamento, avaliando aquilo que realmente será possível ser feito. Independentemente da escolha, uma coisa é certa: precisamos fazer todos os exames médicos e ter acompanhamento médico.

      Excluir
  2. Pois, já até consigo ouvir o sermão do meu médico por ter feito esta opção, porque tenho a certeza que os exames vão acusar aumento dos focus, pois também os sinto.
    Vou ainda continuar por mais uns meses, vou experimentar este Xarope (já muito conhecido por estes lados para a cura de cancro e o meu marido também vai tomar para ver se melhora o aparelho digestivo), vou voltar a tomar alguns suplementos que em tempos tomei e fazer mais tratamentos de acupunctura...
    A nossa vida não é muito stressante, temos felizmente tempo para relaxar, dormir as nossas 8h, fazer exercício, mas não estamos ainda em paz e tranquilos, pois estamos em constantes mudanças e expectativas... isso reflecte-se na nossa saúde.

    Obrigada pela sua partilha, pela sua disponibilidade.
    Felicidades e espero que tudo esteja a correr bem com a gravidez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ângela:

      Meu marido também usou o composto. Ele é muito susceptível à mudança de temperatura e decidiu usar o composto antes de uma viagem para os EUA, em época de inverno. Ele ficou quase um mês e enfrentou mudanças de temperatura bruscas, mas diferentemente de outras ocasiões, resistiu bem. Sentiu que seu sistema imunológico estava fortalecido.

      A babosa não deve ser usada enquanto se está tentando engravidar, pois pode causar contrações uterinas ou intestinais, provocando o aborto. Por isso, o ideal é usar o composto e tentar engravidar nos intervalos. Eu fiz uso, inclusive, no período menstrual. Não tive problema algum, nenhum efeito colateral. Conte-nos depois como se sentiu. Talvez você pense que a endometriose avançou, mas pode ser que não. Só os exames médicos poderão mostrar.

      A gravidez segue bem, sem a necessidade de hormônios ou qualquer medicação. Também não tenho inchaço ou dores. Na última consulta, o médico disse que o bebê nascerá no tempo certo, com o peso e tamanho adequados. Mas esse final é sempre uma expectativa. Logo, logo ele chegará.

      Agradeço as palavras de carinho. Desejo sucesso em seu tratamento, em seus propósitos de ter um bebê. Com carinho,

      Excluir
  3. Minha amiga de coração valente

    Depois de tantas lutas e vitórias, aqui você chegou. No seu momento. Tão íntimo e especial. Tão cercado de magia e de razão. O verdadeiro Natal. A celebração da escolha certa de um caminho entre tantos.

    Que a nobreza desse feito seja sempre o seu porto seguro e a fonte eterna da sua resiliência.

    Obrigada por tudo, minha querida!

    E que 2014 seja tão Grande quanto você!

    Feliz Natal, mamãe!
    Michele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida amiga Michele:

      Suas palavras chegaram em um dia muito importante para nós. Ontem, fomos a uma das últimas consultas de pré-natal, pois completamos 37 semanas. Tudo está bem. O bebê, de cabeça para baixo, ainda não encaixou. Chegará em janeiro. Quem sabe em 22 de janeiro? Que ele permaneça mais tempo em mim. Nesses dias, tenho somado as lembranças, compartilhado com ele cada emoção, como a que senti quando uma amiga querida me enviou a promessa do bebê pelo correio. O presente despertou em mim a semente do João. A palavra tem o poder de compor a vida. Pela palavra tudo se fez. O renascimento de Cristo, o Caminho. Obrigada, minha querida amiga. Obrigada. Desejo-lhe as bênçãos do Céu agora e em 2014. Carinho, sempre e sempre. Carinho de nós três.

      Excluir
  4. Já nasceu o seu menino? Correu tudo bem? Agora o tempo é dirigido ao seu bem mais precioso :)

    Eu não desisti apesar da 4ª menstruação ter sido muito dolorosa e já ter um novo tumor de 2 cm. O meu marido com amor por mim sugeriu que eu não continuasse a tentar pois era a minha saúde que estava a ser comprometida, mas Deus lá interviu e incrivelmente as dores diminuíram nas 2 menstruações seguintes e não houve mais... fiquei grávida :)

    Engravidei naturalmente apesar do meu médico achar que isso seria praticamente impossível... devo ao meu marido que sempre me apoiou, devo muito a si, segui muitos dos seus conselhos, deve-se à acupunctura e ao xarope de aloé.
    Deus pôs a mão em mim, sou muito abençoada.
    Em breve farei uma eco para saber se está tudo direitinho e agora é rezar para que a gravidez vá até ao fim :)

    Muito obrigada e muitas felicidades.

    ResponderExcluir
  5. Olá, minha amiga! Sim, nasceu meu querido. Os desafios da amamentação são enormes, por isso ainda não consegui parar para escrever. Ele é um bebê lindo e saudável! Um presente de Deus. Fiquei muito, muito feliz com sua mensagem! Mensagem abençoada. Você é muito abençoada. Vou colocar em destaque no blog. A babosa, de fato, estimula a ovulação. É também uma planta da fertilidade. Toda mudança do estilo de vida favorecem a recuperação do organismo. A fé em Deus transforma a vida! Estarei orando por você. Siga confiante em Deus. Continue se alimentando bem (na medida do possível, pois o enjoos são fortes, quando ocorrem). Eu não comi açúcar. continuei usando alho, limão (pois favorecem a oxigenação da placenta etc. Veja o texto no blog). Envie-me seu e-mail. Não vou publicá-lo. Assim, que possível, entrarei em contato. Vou colocar seu texto em destaque. Outras mulheres precisam acreditar que é possível sim. Muitas felicidades, paz, saúde e bênçãos! Deus está ao seu lado. Obrigada por contar esse maravilhoso milagre em sua vida. Carinho,

    PS.: Não use a babosa durante a gravidez, pois é contraindicada.

    ResponderExcluir
  6. É só a folha, ou a folha junto com a baba que vem dentro?

    Isis Nogueira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Isis:

      É a folha inteira, com as partes externas e internas. Eu só tiro as laterais. Abs.

      Excluir
  7. A endometriose chegou a atingir alguma trompa sua? você fez laparoscopia antes de tentar engravidar para ver se as trompas estavam tortuosas ou com endometriomas? me conte uma coisa, quando você tentou engravidar continuou tomando a babosa?

    beijos novamente,

    Isis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Isis. Eu não investiguei a condição das trompas. Nunca me submeti ao procedimento de laparoscopia. Após engravidar, durante a gestação, parei de usar a babosa. Abraços.

      Excluir
  8. Estou tomando a babosa da forever, não achei a babosa in natura em Salvador. Cortei o açúcar, tomo um dente de alho dia e virei semi-vegetariana. Como carne a cada 15 dias e frango também evito ao máximo. Tomo suco de limão com mel, substitui o arroz, macarrão e pão normal pelo integral. O leite só tomo desnatado e em pó. Vendo você falar dos enjoos, também os sinto. Ao tomar a babosa, tomo 10 dias e paro por 10 porque dá nauséas mesmo. Não sei com você, mas comigo, depois dessas mudanças passei a ir ao banheiro todos os dias e olha que tinha prisão de ventre. Já conversei com minha médica e contei o que estou fazendo, ela me passou outra ultrasson para ver se diminuiu, o que eu tenho certeza que aconteceu. Eu tenho endometriose no ovario esquerdo, na trompa esquerda e no reto septo vaginal diagnosticado pela ressonância magnética. Tão querendo fazer laparoscopia, mas falei a médica que os sintomas diminuíram 90% e assim, prefiro repetir os exames de imagem. Por isso queria saber de você se você fez laparoscopia ou não. E se investigou a situação de suas trompas. Obrigada e te aguardo! Luz para sua familia!!! Um beijo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amiga. Não tomei a babosa industrializada. Não senti enjoos ou náuseas com o composto de babosa. Para achar a babosa, uma dica: vá à feira e pergunte aos produtores rurais. Muita gente cultiva a planta. Tente substituir o leite também. Há leites deliciosos e nutritivos. Exemplo: leite de amêndoa, castanhas, semente de girassol (é preciso fazê-los em casa).

      Sim, o intestino funciona perfeitamente com essas mudanças. Isso é essencial para a saúde.

      Nem sempre a ausência de sintomas significa que a endometriose diminuiu. No meu caso, primeiro desapareceram os sintomas. Durante algum tempo, mesmo sem sintomas, os focos cresciam um pouco. Depois, os focos pararam de crescer. Então, finalmente, diminuíram de tamanho. Em 2013, engravidei naturalmente. Foi gradativo para mim.

      Tenho recebido e-mails de mulheres que tiveram um resultado bem mais rápido. Outras, também vivem experiência semelhante a minha. O importante é persistir. Mesmo que os focos de endometriose tenham crescido um pouco, não se deve desanimar. Precisamos reavaliar nosso tratamento. Ver o que ainda precisa ser modificado. Também é importante ter em mente que esse não é um tratamento para pouco tempo, mas para a vida toda. É um novo estilo de vida. Uma nova vida.

      No seu caso, seu organismo está se recuperando rápido. Como é bom viver sem dores, sentir a saúde voltando. Parabéns pela persistência, pela determinação. Que bom que você tem uma médica que a acompanha, a escuta.

      Se os sintomas diminuíram, eu não faria laparoscopia. É perfeitamente possível controlar e mesmo vencer a endometriose com a mudança de estilo de vida. Eu nunca me submeti ao procedimento de laparoscopia.

      Não investiguei a condição das trompas.

      Obrigada por escrever! Carinho,

      Excluir
  9. Boa noite, meu nome é Aline e descobri que tenho endometriose há 2 anos...fiz videolaparoscopia e o médico disse que pra eu engravidar, só através de fertilização in vitro...
    Me indicou para eu continuar o tratamento com o Allurene e eu não quis fazer uso...
    Se alguém souber quem está fazendo uso deste medicamento, tenho 2 caixas lacradas para doar com vencimento para dezembro, se alguém tiver interesse me envia email: alinekfcastro@hotmail.com

    ResponderExcluir
  10. Oi a babosa pode ser de vaso ou tem que estar plantada na terra? Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camilla. O ideal é a babosa plantada em um lugar sem contaminações (sem fumaça de cigarro, ar poluído, agrotóxicos, inseticidas, insumos sintéticos, água limpa etc.) Mas se você não tem como obter uma babosa assim ainda, use a melhor disponível. E continue na busca por uma boa planta. Minha primeira receita foi feita com uma babosa de vaso de outra espécie, mas logo eu encontrei a babosa certa, num sítio em Águas de Lindoia. Foi a ideal, pois é importante olhar a qualidade da terra e do meio em que a planta está, pois esses fatores influenciam sim na qualidade nutricional e medicinal da planta. Mas como disse, use o melhor disponível. Um abraço!

      Excluir
  11. Olá,
    Como posso achar a babosa certa?
    Pode indicar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tente em floriculturas e feiras, caso more em uma cidade maior. No interior, geralmente, você encontra em sítios. Procure saber se não colocaram fertilizantes e está em um local livre de poluentes e venenos (agrotóxicos, mata-mato etc.).

      Excluir
  12. Olá amiga, há muitas semanas venho pesquisando sobre tratamentos efetivos para o combate a mioma e endometriose. Pelas pesquisas pude encontrei o relato da moça que aqui escreveu no dia 18/04/2014 contando sobre a cura dela. Através das dicas de seu blog ela conseguiu tamanho êxito. Não gostaria de fazer cirurgia, nem pelos miomas( que estão enormes) e muito menos pela endometriose. Tentarei a babosa tb. Obrigada por compartilhar sua experiência. Em breve postarei não só a cura, mas como a gravidez e nascimento de meu bebê! Com fé tudo é possível! Ass. Lina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lina! Obrigada por escrever. Para mim, a fé é o princípio essencial. Ao buscar a vontade de Deus para minha vida, encontrei significado na busca pela saúde. O uso da babosa fortaleceu meu organismo e foi um grande aliado na luta contra a endometriose. Mas tenho certeza de que a mudança de estilo de vida foi fundamental (Veja aqui as mudanças que fiz:http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html). Há um médico em Manaus que usa, com sucesso, unha de gato e uxi amarelo no tratamento contra miomas. Faça exames para avaliar seu tratamento. Procure fazer todas as mudanças sem abrir exceções (tire doces, frituras, industrializados etc., faça exercícios físicos etc.). Às vezes, dependendo do grau da doença, é necessário se submeter a uma cirurgia. Embora a cirurgia não seja curativa, ela pode ser necessária às vezes. No entanto, só a mudança de estilo de vida pode refazer a saúde e impedir o avanço da doença. Siga firme. Acredite e busque forças em Deus para fazer todas as mudanças necessárias e conhecer a vontade dEle para você. Só NEle encontro forças e convicção para mudar meus hábitos. Ficarei feliz em saber das boas-novas! Um grande abraço. Com carinho,

      Excluir
  13. Vou fazer e depois digo se funcionou

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    ha um mês descobri que tenho endometriose profunda, esta no meu intestino e minha gineco disse que tenho que fazer uma cirurgia para tirar os focos e se for necessário tem que retirar um pedacinho do intestino, será que devo fazer esta cirurgia e tomar a babosa depois para não voltar, ou posso tomar agora pra ver se diminuem os focos? Amanhã é a minha consulta com o cirurgião de intestino... estou um pouco nervosa em saber o que ele vai dizer...Obrigada um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Patrícia!

      Eu recebi o mesmo diagnóstico, mas decidi não me submeter à cirurgia. Não apenas utilizei a babosa, como modifiquei por completo meu estilo de vida. Mudei meus hábitos, conforme relato aqui (http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html). A babosa, apenas, não é a solução. Sugiro que você leia este post: http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html

      A opção que fiz não garante nenhuma certeza de cura. Mas eu venci a dor, os focos diminuíram e engravidei naturalmente. Isso acontece com todas as mulheres que se comprometem em ter uma nova vida com novos hábitos saudáveis? Pelo que tenho lido sobre a experiência de outras mulheres que entraram no blog e fizeram as mudanças necessárias, digo que é, sim, possível vencer a endometriose. Veja a experiência extraordinária dessa mulher que conheceu o blog, fez as mudanças e, hoje, conquistou seu bem maior (http://forum.mulherendo.pt/t518-acreditar). É um relato emocionante!

      Mas esse é um caminho árduo, repleto de incertezas, caminho solo. Eu trilhei por ele com a ajuda de Deus. Ao olhar para esses últimos sete anos, agradeço a Ele pelas decisões que tomei. Agradeço a Ele pela força que recebi para mudar meus hábitos. Não existe pílula mágica, nem mesmo se ela for fitoterápica. A cirurgia tampouco é curativa. É necessário mudar os hábitos, a alimentação, o estilo de vida.

      Faça uma oração. Peça a Deus, como se pede a uma amigo numa conversa, que lhe dê sabedoria e a ajude a fazer as melhores escolhas. Um grande abraço! Com carinho,

      Excluir
    2. Olá, boa noite!
      Gostaria de obter maiores informações sobre o uso do composto da babosa. Pois, descobri a endometriose profunda em janeiro/15 e no fundo sabia que tinha algum remédio natural para a cura... Estou a procura da babosa e vou fazer a receita para começar a tomar ainda este mês.. Você diz que deve-se fazer um intervalo de 10 dias ou mais para fazer novo uso da receita se necessário...
      Os exames são feitos de 6 em 6 meses (minha médica disse) correto? Então, qual a forma correta de uso do composto? Usar a receita e aguardar quantos dias ao certo? 10 dias ou mais ficou muito vago...
      Você tomou o composto durante quanto tempo no total? Ainda toma?

      Muito Obrigada,
      Vanessa

      Excluir
    3. Olá, Vanessa. Obrigada por escrever. Eu não acho que o composto de babosa seja a solução para a endometriose. Não há um remédios, mas uma mudança de estilo de vida. Veja aqui as mudanças que fiz: http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html

      Tenho amigas que tomaram o composto apenas e não tiveram melhora significativa. De minha experiência, acho necessário uma mudança de estilo de vida permanente. Algo provisório ou apenas um remédio, por melhor que seja, representa um risco de a endometriose avançar. Considerando que se trata de uma doença complexa e perigosa, a vigilância deve ser constante. O acompanhamento por exames médicos é imprescindível.

      Infelizmente, eu não fiz um relatório do número de vezes que tomei o composto. Não imaginava que teria um resultado tão positivo, por isso não cataloguei os dados de uso. O Frei Romano Zago recomenda um intervalo de 10 dias entre uma receita e outra, com o uso de duas ou três receitas no máximo. Depois, uma receita por ano.

      Acho que tomei três ou quatro receitas no primeiro ano de uso. Mas não me recordo exatamente. Depois, usei mais vezes, com um intervalo maior. Comecei em 2010 e usei até o início de 2013. Em 2011 e 2012, acho que usei uma por semestre. Faz algum tempo que não tomo o composto, por conta da gravidez e amamentação. Mas agora vou tomar uma nova receita.

      A babosa não está isenta de fatores antinutricionais (nem mesmo os feijões ou castanhas estão). Por isso, acho que devemos usá-la com cuidado, com informação, com pesquisa. Eu tomava bastante água, fazia exercícios físicos aeróbicos etc. Mudei meu estilo de vida, não apenas fiz um tratamento com recursos mais naturais. Acho que todos esses fatores influenciam nos resultados.

      Desejo sucesso em seu tratamento. Obrigada pelas perguntas pertinentes. Abraços.

      Excluir
    4. Sim sim, li sobre toda as mudanças e farei o mesmo. Meu maior interesse é a cura. Seguirei seus conselhos a risca.

      Obrigada. Abraços, Vanessa

      Excluir
    5. Tenha certeza de que este é o caminho: um novo estilo de vida. Estou lendo um livro bem interessante "Superimunidade", de Joel Fuhrman. Para alimentar o corpo, precisamos alimentar bem a mente, pois há muita resistência às mudanças vinda de profissionais da saúde, e mesmo de familiares e amigos. Não desista. Você terá excelentes resultados. Um grande abraço!

      Excluir
  15. NOSSAAAAAA me enchi de esperança com seu depoimento. *o*
    Muito obrigada mesmo.

    Você usa 30.000 ui de vitamina D3 ?
    O com posto de vitamina de que você toma vem junto com a vitamina K2? Se sim, qual é a dosagem de cada?

    Não quero me auto medicar. É que quero mostrar seu depoimento para meu médico e como também estou com deficiencia de vitamina D, queria dar uma noção para o meu médico de quanto você está usando, se seria bom para mim também.

    Por favor, me responda, Estou desesperada com as dores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não usei suplemento. Fui para Natal e peguei o sol do Nordeste, sem qualquer protetor solar. Após 10 dias de sol, minha vitamina D estava normal. Na amamentação, usei um suplemento importado para bebês (Ddrops Baby), 1000 UI.

      Sugiro que você leia o post http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html

      Não se desespere. Deus deseja nos conduzir rumo à cura. Ore. Leia e faça todas as mudanças, não apenas às relacionadas com a vitamina D.

      Tome sol sem protetor. Exercite-se. Mude sua alimentação. Você vai conseguir. É um processo gradativo que requer paciência e esforço, mas você vai conseguir.

      Desejo muito sucesso em seu tratamento.

      Com carinho,

      Excluir
  16. Boa tarde,

    Meu nome é Carolina, fui diagnosticada com endometriose profunda há aproximadamente um mês. Consultei-me com o primeiro médico e ele me deixou muito assutada, afirmou que precisava passar por uma labaroscopia urgente pois os focos estavam espalhado e um deles é no ureter, que comprometia o funcionamento de um rim. Após o susto, marquei o urologista e o gastro e decidi ir à uma segunda opinião. Nesse médico, a proposta foi totalmente diferente, tratamento com anti concepcional e com remédios homeopáticos e fitoterápicos. Por fim, acabei de voltar do retorno daquele meu primeiro médico (o assustador kkkk) e ele me afirmou que a endometriose não regride e que recomenda totalmente a cirurgia, pois meu rim está a perigo. No entanto, quero seguir a opinião do tratamento, pois a cirurgia pode me trazer conseqüências terríveis, mas confesso que fico um pouco insegura. Parabéns pelo blog, vendo histórias como a sua me deixam um pouco mais tranquilas para seguir em frente!

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A endometriose regride. Minha experiência é real. Inclusive, disponibilizo meus exames no blog.

      A Medicina atual segue protocolos e diretrizes para o tratamento da endometriose, que consiste em fármacos hormonais e/ou cirurgia. Não são procedimentos curativos.

      Eu não me curei da endometriose. Há focos ainda, mas estou assintomática, sem dores e com qualidade de vida. Os focos diminuíram significativamente. Engravidei naturalmente, mesmo tendo endometriose Grau IV. Você não encontrará tratamento médico com essa abordagem.

      Contudo, em determinadas situações, cirurgias são necessárias. Busque avaliação de diferentes médicos. Na maioria das vezes, operar não é necessário.

      Pela minha experiência, o único modo de deter a endometriose, sem agredir o organismo, é mudando o estilo de vida. Mas essa opção tem que ser levada a sério, pois, de fato, a endometriose avança. É necessário acompanhamento por exames médicos e comprometimento com um novo jeito de viver, que valorize a alimentação, os exercícios físicos, etc. No meu caso, busquei a Deus e obtive forças necessárias para trilhar por esse caminho. Foi a melhor escolha que fiz em minha vida!

      Desejo sucesso em seu tratamento.

      Excluir
  17. A babosa diminuiria um endometrioma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é só a babosa. É mudança de estilo de vida. Sugiro que você leia o post http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html

      Com as mudanças que fiz no meu estilo de vida como um todo, meu endometrioma que estava com 6 cm diminuiu para 2.5 cm. Sem remédios, sem cirurgias.

      Excluir
  18. curei minha doença celiaca com babosa

    ResponderExcluir
  19. estou com endometriose no ciclo menstrual vivo abaixo de remédios

    ResponderExcluir
  20. Respostas
    1. Conheço essas dores. Mas posso lhe dizer que é possível, sim, vencê-las. Não pelo caminho dos fármacos hormonais ou qualquer outro "remédio". Mudei meu estilo de vida: a endometriose diminuiu, não tenho mais dores, engravidei naturalmente. É real. Veja aqui meu tratamento: http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html

      Desejo-lhe novas forças.

      Carinho,

      Excluir
  21. Oi querida, tb tô com medo profunda e querendo engravidar. Fiz vídeo em agosto e retirei endometeioma, mas continuo com endo intestinal. Os médicos sugeriram allurene, zoladex, mas eu não quero, depois sugeriram fiv, aí fiquei apavorada be fui procurar alternativas naturais na net quando achei seu blog. Obrigada por tudo. Já iniciei minha atividade física e comecei na mudança de alimentação. Tenho fé que vou conseguir engravidar naturalmente assim como você. Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, acredite e faça as mudanças. Veja também a história de Angela, que engravidou, ao mudar seu estilo de vida. Acompanhe as mudanças por meio de exames médicos. Desejo muita força e vitória em seu novo estilo de vida.

      Com carinho,

      Excluir