Arquivo do blog

domingo, 30 de janeiro de 2011

Sol e endometriose




Na próxima semana, farei uma viagem de férias com meu marido. Vamos curtir a praia. Como trabalhamos em escritório o ano todo, estamos bem animados com a viagem. Pretendemos acordar cedo para acompanhar com os pés nas águas o nascer do Sol. Sim, seja bem-vindo o Sol. Acredite, ele pode revolucionar seu organismo. A luz solar também pode ajudar a combater a endometriose.

Até o ano passado, eu não desconfiava dessa relação. Mas as coisas começaram a mudar a partir de uma consulta com um médico pesquisador. O ginecologista fez um pedido de exame diferente. Além da dosagem de CA125 e de outros exames habituais, solicitou a dosagem de vitamina D – “a vitamina do Sol”. Quando o resultado chegou, uma surpresa: eu estava com carência da vitamina. Índice baixo: 15 ng/ml.

Além de estar relacionada com a endometriose, a carência de vitamina D tem relação com doenças autoimunes, artrite, esclerose múltipla, câncer, infertilidade, ovários policísticos, alterações hormonais, enxaqueca, fibromialgia, depressão, doenças na tireóide, psoríase, lúpus, diabetes do tipo 1, Alzheimer e osteoporose. Apesar da lista extensa, a associação entre hipovitaminose e doenças graves não é comum. Mas felizmente há médicos atentos a isso. O médico Cícero Galli Coimbra, professor livre-docente da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), apresenta a vitamina D como uma solução para doenças autoimunitárias e neurodegenerativas.

O engenheiro ambiental, Marco Palma, chegou ao consultório do Dr. Cícero com paralisia facial, formigamento de membros e alteração da sensibilidade do abdômen. O diagnóstico: esclerose múltipla. Apesar de ser surfista e jovem, ele estava com carência de vitamina D. Há pessoas que mesmo se expondo ao Sol apresentam a deficiência da vitamina. Após ser tratado com a dose correta da vitamina, Marco venceu a esclerose múltipla. Em outros pacientes, as doenças autoimunes também regrediram. Se há uma solução tão simples para uma doença complexa, por que poucos sabem disso? Para o Dr. Cícero, “a falta de informação sobre o assunto começa pelo ambiente acadêmico e culmina na pressão mercadológica que a indústria farmacêutica exerce sobre a sociedade” (Leia o artigo, vale à pena: http://www.medicando.com.br/destaques-medicando/imprimir.php?id_conteudo=224).

Para enfrentar a endometriose, não deixe de dosar sua vitamina D. Se estiver com carência, procure fazer a reposição corretamente. A endometriose é considerada por pesquisadores uma doença autoimune. Além disso, mulheres com endometriose podem apresentar, com o tempo, outras doenças autoimunes correlacionadas, como lúpus, artrite, tireoidites (Em outro post, quero contar minha experiência sobre isso). Por isso, é preciso estar alerta. O uso da vitamina D exerce papel fundamental para evitar esse quadro. De acordo com o médico Alexandre Feldman, para fazer o exame correto, solicite ao seu médico um pedido de dosagem de 25-hidróxi-vitamina D no sangue (Leia o artigo de Feldman em:
http://www.enxaqueca.com.br/blog/?p=85).

Tenho me exposto ao Sol pelo menos 20 minutos todos os dias antes das 9h, conforme recomendação médica. O Dr. Cícero recomenda no mínimo dez minutos diariamente com 90% do corpo exposto sem filtro solar. O Sol esse grande vilão (no horário inadequado) é, sim, uma força necessária para a vida. E na luta contra a endometriose, um aliado importante e indispensável.


Acesse:
http://www.avidadejesus.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário