Arquivo do blog

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Endometriose e doença autoimune



1 de junho de 2011

Quando fiz, pela primeira vez, o exame do FAN (Fator anti-nuclear), o resultado foi normal. O especialista em endometriose requisitou uma lista de exames, e apenas fiz. Não sabia o significado de cada exame, mas também não estava muito preocupada com isso. Já havia coisa demais para me preocupar naquele momento. Afinal, tinha acabado de perder meu ovário direito.

No início de 2010, repeti novamente o FAN. Até esperava que, algum dia, eu iria me deparar com um resultado positivo para Tireoidite de Hashimoto, um hipotiroidismo autoimune (outro exame requisitado pelo ginecologista). Afinal, minha mãe tem a doença, que dá para manter sob controle. Mas o resultado foi outro: FAN reagente (padrões nuclear pontilhado grosso 1/320. Muito alto). Entre o leque das patologias, estão: Doença Mista do Tecido Conjuntivo, Lúpus Eritematoso Sistêmico, Esclerose Sistêmica, Artrite Reumatóide, Síndrome de Sjögren Primária, Lúpus.

O FAN reagente ou positivo pode estar presente em pessoas saudáveis (quando o título é baixo 1/80). Além disso, pode estar presente em portadoras de endometriose, sem que essas doenças autoimunes se manifestem. Mas elas também podem, sim, se manifestar. Possivelmente, a própria endometriose seja uma doença autoimune. Não ficou muito claro para mim – e, talvez, nem mesma a ciência tenha essa resposta ainda – qual é a relação exata entre FAN e endometriose. Vou ter alguma dessas doenças listadas em algum momento? Se tiver, vai se manifestar da mesma forma? Posso ter o FAN reagente apenas se tiver endometriose, sem qualquer outra doença autoimune coexistente? Muitas perguntas, respostas inconclusivas, sintomas variados.

Com o resultado em mãos, fiquei muito assustada. Fragilizada. As doenças autoimunes são desafiadoras tanto quanto a endometriose, ou mais. Sentia alguns sintomas mais preocupantes: perda de peso, queda de cabelo. Junto desse exame, outro resultado: níveis baixos de vitamina D (sua carência é um desencadeador de autoimunes) e do complexo B. No dia que vi o resultado, precisava dirigir quase 3h até chegar ao meu trabalho. Naquela viagem, dirigi entre lágrimas. Trabalhei em meio a uma tristeza profunda. Mas prossegui.

Mudei meu estilo de vida, melhorei a alimentação, comecei a me exercitar diariamente, a me expor ao Sol e a usar gliconutrientes. Continuo firme nesse caminho. Meu peso estabilizou, minha saúde voltou ao normal e a endometriose diminuiu. Não tenho dores e me sinto muito bem. Tenho apenas um sintoma que talvez não desapareça – o inchaço abdominal. Em todo esse trajeto de reformas e descobertas, de boas e más notícias, de consultas especiais e receitas realmente eficazes, renovei minha confiança em Alguém tão esquecido nos dias de hoje, mas que conhece nossa vida em cada um de seus detalhes.

Nesta semana, chegaram os resultados dos últimos exames de sangue. O FAN que tinha dado os alarmantes 1/320 passou, no segundo exame, para 1/160 e, agora, está no mínimo: 1/80. Embora eu pudesse prever esse resultado ao observar meu próprio corpo, com o exame tenho a certificação científica. A vitamina D (25 Hidroxi) passou de 14,6 para 38 ng/mL. Hoje, já tomei meu banho de Sol. Minha vitamina B12 está sob controle (vegetarianos devem sempre dosar essa importante vitamina). Com o quadro de hipovitaminose corrigido, a vida se fortalece.

Compartilho de minha experiência, para dizer: caso você descubra a endometriose em estágio mais avançado ou receba um resultado positivo para outras doenças autoimunes, não desanime. Eu estou bem, muito bem. Faça as mudanças, mesmo em meio a deslizes. Recomece, ainda que tudo pareça excessivamente difícil. Busque informações e as compartilhe. Confie, sempre. Você não está sozinha naquilo que lhe abateu. Ainda que esteja só, que não tenha filhos ou um marido carinhoso, que ao derredor e intimamente nem tudo esteja bem; sua luta para estar melhor é uma luta conjunta. Para quem busca a cura, não há solidão.

Leia a reflexão de hoje: O Médico dos médicos.



Coloquei uma nova receita no blog Sabor com Saúde.

18 comentários:

  1. Anônima, eu gostaria apenas de te agradecer.
    Vc me trouxe a paz d espírito que eu estava precisando.
    Vou mudar meus hábitos tbm.
    Fique com Deus, como Ele seja para vc.
    Aline

    ResponderExcluir
  2. Querida Aline:

    Obrigada pelas palavras de carinho!
    Estarei pensando em você. Que Deus lhe conduza na mudança de estilo de vida. Ele está ao seu lado e lhe dará forças para realizar seu projetos e sonhos.

    Carinho,

    ResponderExcluir
  3. Ainda não sei seu nome, como respeito sua privacidade não vou perguntar, pois se fosse sua vontade com certeza você já teria nos dito, então vou denominá-la de "Carinho", pois é o que você nos dá em cada novo texto.

    Carinho...

    Fiquei muito feliz com sua decisão sobre o bebê, acho que todas devemos tentar! Já tentei também mas por conta sem intervenção médica, sem sucesso voltei a suspender as menstruações pois o fan piorou muito assim como os sintomas. Não sei se vou tentar novamente, mas se tentar irei direto procurar fertilização in vitro, para não ficar menstruando e sofrendo desnecessariamente.

    Penso que a gravidez pode ser um sonho, mas caso eu não consiga não permitirei que isto me fruste pois sempre priorizei outras coisas na minha vida, como a profissão por exemplo, então me apego a idéia de que se eu não puder ter um bebê não será o fim do mundo! Vou aproveitar a vida de outra forma e gastar mais comigo (gastos que seriam para o bebê....rsrsrs).

    Sei que estas idéias não passam de desculpas ou proteção para que eu não venha sofrer, mas toda a mudança que fazemos também não são de livre escolha, ou alguém gosta de comer alho??e ainda ficar escutando o marido reclamar do cheirinho???? Ou abdicar de tantas outras coisas que amamos para mudar nosso estilo de vida?

    Pois bem, hoje conheço muitas mulheres sem filhos, algumas amarguradas, outras exuberantes, lindas e com o astral lá em cima. Serei das exuberantes mas com muitos bichinhos abandonados que por mim e meu marido são adotados e muito amados.
    Então Carinho hoje eu quis te dar um pouquinho de carinho e acalanto para a alma, já que você faz tanto por mim!
    Seja feliz com o que Deus te dá! Tente de tudo para conseguir o que deseja! Mas muitas vezes a felicidade está ao lado e não no que desejamos sem muitas vezes saber nem o que é ou como é!

    Fique com Deus minha amiga...

    Aline

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Não tenho endometriose mas tenho FAN positivo também, sem nenhuma doença diagnosticada). Não se preocupe com o FAN, até a minha reumato que não tem doença alguma possui o FAN positivo. Ele é realmente um mistério, pois pode acusar N fatores do organismo que por qualquer motivo altera o fator anti nuclear. Pode tanto significar que seja causa da sua endometriose como pode ser uma manifestação qualquer de (como hipotireoidismo). Não temos escolha a não ser repetir esse exame anualmente. Às vezes bate mesmo uma insegurança, sem saber se alguma doença se manifestará no futuro. O bom, é que se qualquer dessas doenças, se diagnosticadas no início, o tratamento é muito mais eficaz.
    É colocar nas mãos de Deus e não ter medo, pois graças a Ele hoje a Medicina está muito evoluída!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Que linda mensagem, Aline. Agradeço esse carinho único e sensível. É uma mensagem para todas nós, com nossos sonhos e desejos mais acalentados. Sim, a probabilidade de uma mulher com endometriose ter um filho diminui. No meu caso, ter um filho é ainda mais improvável. Amanhã farei 35 anos. Há quase quatro anos, perdi o ovário direito por causa da endometriose. Tenho um endometrioma no ovário esquerdo e fator antinuclear reagente (FAN). Tenho endometriose profunda. Escrevo isso ouvindo "Pie Jesu", a canção sobre o Deus que escolheu o ventre da mulher para se fazer humano. Me emociono (Coloquei a canção no texto "A canção das crianças": http://endometrioma.blogspot.com/2011/12/cancao-das-criancas.html). Ao mesmo tempo, uma das versões da canção diz “Piedoso Jesus, piedoso Jesus... Que tirais o pecado do mundo/ Dá-lhes a paz, dá-lhes a paz”... dá-me a paz. Sim, Aline, você tem razão – precisamos buscar a paz. Se o bebê vier, será um presente em meio a um cenário tão improvável, mas não impossível. Se não vier, o que parece mais provável diante de minha situação, outros sonhos deverão existir. Meu valor, o valor de toda mulher, não está somente em ser mãe, embora essa seja uma experiência única e devesse ser, acima de todas as coisas, uma experiência transformadora para a mãe que se entrega com amor à maternidade, para o filho que cresce educado para ressignificar existências. A maior de todas as missões, mas não a única. Eu e meu marido pensamos na adoção, daqui a alguns anos. Os caminhos profissionais podem representar encantamentos diferentes, no estabelecimento de relações afetuosas e igualmente transformadoras, como você colocou.

    Aline, você demonstra, com carinho, a importância de realizar sonhos; mas, caso não seja possível alcançar aquilo que achamos ser o melhor, você nos lembra da importância de reconstruir os sonhos, diante de impossibilidades. Talvez não nos tornemos mães, mas o princípio que rege a maternidade pode permanecer – a entrega, com amor, à construção da vida, com paz. Obrigada por escrever!!! Fiquei muito feliz. Um presente de aniversário.

    Muito carinho pra vc também...

    ResponderExcluir
  6. Olá, Ana:

    É muito bom ouvir sobre sua experiência. Como você disse, o importante é fazer sempre o acompanhamento médico e deixar o medo sob controle. Viver em paz, confiante, feliz. Isso é saúde. Nem sempre é fácil, mas é necessário ter tranquilidade. Obrigada por compartilhar suas informações (outras pessoas também serão beneficiadas pela sua mensagem) e transmitir a paz e confiança em Deus.

    Um grande abraço, com carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente, visitar o blog dá uma sensação diferente, de paz. Uma fé contagiante.
      A vontade que tenho é de te conhecer, sentar tomar um café e trocar experiências. Que Deus continue abençoando sua vida e de sua família.
      PS - enviei um e-mail para vc.
      Débora

      Excluir
    2. Obrigada, Débora. Suas palavras também são contagiantes! Como é bom receber essa atenção. Desejo a condução de Deus em sua vida e de seu esposo. Também gostaria muito de planejar um encontro. Na resposta a seu e-mail, quero falar sobre isso.

      Um grande abraço!

      Excluir
  7. Carinho...

    Nossa nós somos muito iguais! Vou fazer 35 anos também agora em março, tenho endometriose profunda com comprometimento total do ovário esquerdo (mas não tirei), parcial do direito e fan estouradão!

    Espero que se uma ganhar na loteria a outra também ganhe, né! Eu tô tentando!

    Bjs

    Aline

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aline:

      Desculpe-me a demora em responder. Foi bem corrido no mês passado. No sábado, conheci uma mulher que está fazendo tratamento médico. Perguntei qual era o problema. Ela respondeu: endometriose. Abri um sorriso e disse: somos iguais! Lógico, ninguém é feliz por compartilhar doenças. Mas a dor nos une, o desejo de superação nos une e a unidade – e não a doença – nos faz feliz.
      Desejo toda sorte para você! rsrs.

      Carinho e um ótimo 2012 pra vc!

      PS.: Meu FAN estava alto, quando o descobri, mas depois da mudança no meu estilo de vida, ele baixou para 80, um nível considerado normal.

      Excluir
  8. Gostaria de saber se endometriose é uma doença autoimune.
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A endometriose tem sido considerada por alguns especialistas como uma doença autoimune devido a presença de auto-anticorpos, doenças autoimunes associadas, como diabetes tipo 1, hipotireoidismo, lúpus e artrite reumatóide, e também abortos recorrentes (http://www.bv.fapesp.br/pt/auxilios/28135/estudo-de-polimorfismo-do-gene-ptpn22-em-mulheres-portadoras-de-endometriose/).

      Como escrevi, eu apresentei marcadores para doença autoimune. Mas o FAN diminuiu, os sintomas desapareceram, os focos diminuíram, não tenho dores, nem fadiga, nem qualquer outro sintoma relacionado também à autoimunidade. A mudança de estilo de vida refez meu organismo.

      Excluir
  9. Querida, tbm optei por tratamentos alternativos: acupuntura, homeopatia, fisioterapia, sol... só não consegui tornar o esporte um hábito na minha vida. Comecei há pouco tempo, mas já percebi alguma melhora. Tenho uma dúvida : como está sua queda de cabelo? Vc melhorou sem medicamento para conte-la?
    Obrigada
    Luciana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luciana:

      Que ótimas notícias! Eu só não fiz uso da acupuntura e homeopatia. Com as mudanças que fiz em meu estilo de vida, não tive mais queda de cabelo. Voltou ao normal. Não fiz uso de nenhum medicamento alopático. Foi a mudança de estilo de vida mesmo. E agora estou grávida naturalmente. Tenho recebido e-mails de mulheres que começaram a mudança de estilo de vida e já estão sem dores. É o melhor caminho.

      Mas sempre faça o acompanhamento com exames médicos, mesmo com a melhora dos sintomas. Só assim para saber se está surtindo efeito, se você precisa melhorar algum ponto etc. De todos os aspectos de meu tratamento (todos são muito especiais), um dos mais importantes é justamente o exercício físico diário (eu caminhava duas vezes ao dia, por 30, 40 minutos em um ritmo mais intenso,de preferência aclives e declives. Só agora que estou grávida diminuí o ritmo). O exercício combate a alta de estrógeno (que é alimento da endo), limpa o organismo de toxinas, aumenta a imunidade etc. É fundamental. Talvez um dos aspectos mais fundamentais. Desejo sucesso em seu tratamento!

      Abs.,

      Excluir
  10. Obrigada por compartilhar conosco a sua história. Gostaria de saber também se hoje você menstrua normalmente ou se, como a maioria de nós (me incluo), toma medicamentos ininterruptamente afim de se evitar a menstruação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida Layssa:

      Sim, menstruo normalmente, sem dores. Não tomo qualquer medicamento. Continuo firme em meu novo estilo de vida, com a endometriose sob controle. Veja aqui um resumo de meu tratamento: http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html

      Sobre tratamento hormonal, veja aqui minha opinião: http://endometrioma.blogspot.com.br/2013/02/anticoncepcional-e-endometriose_1625.html

      O texto fala sobre anticoncepcional, mas se aplica a todo fármaco hormonal.

      Carinho,

      Excluir
  11. Gostei bastante do seu blog e tbm fui diagnosticada com endometriose, meus cabelos caem muito, e estou perdendo peso, e vi que vc tomou gliconutrientes oque seria isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Os gliconutrientes que usei estão presentes na planta babosa. Aqui eu descrevo todo meu novo estilo de vida: http://endometrioma.blogspot.com.br/2014/01/meu-tratamento-contra-endometriose.html

      Aqui esta a receita com a babosa (gliconutrientes): http://endometrioma.blogspot.com.br/2013/12/endometriose-e-fitoterapia-minha.html

      Hoje, não tenho mais doença autoimune ativa. Estou muito bem.

      Desejo sucesso em seu tratamento.

      Carinho,

      Excluir