Arquivo do blog

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Água


23 de outubro de 2013

Há mais de um mês, fiz o exame de ultrassom morfológico para saber como está o bebê. Minha barriga estava bem grande para cinco meses e, por isso, temia que houvesse líquido amniótico em excesso. Mas está tudo bem. O bebê nada tranquilo nessas águas. Antes do exame, fui à empresa do plano de saúde para pedir aprovação para o procedimento. O dia estava muito seco, mas eu carregava na bolsa minha garrafinha de vidro com água mineral. No elevador, uma funcionária conversava com outra mulher. Dizia-lhe que estava com muita dor nos rins, que sabia que tinha pedras, mas ainda não havia tomado água naquele dia. Trabalhava em um centro ligado à saúde, tinha consciência de sua necessidade, mas parecia sem tempo até para respirar. A correria seca por dentro.

Na semana posterior ao exame, assisti à entrevista de um médico nutrólogo que falou, entre outras coisas, sobre a importância da hidratação. A entrevistadora contou que usava um aplicativo para lembrá-la de tomar água. Não disse se com o suporte tecnológico passou a tomar água ou não, mas contou que o aparelho a fazia perceber que ela não toma água. O aplicativo desperta certa consciência, mas não sei se desperta a sede.

Minha mãe não tem sede de água pura desde sempre. Para ela, a fonte da seca está em um filtro de barro que vertia água com gosto de terra. A criança não quis mais saber da bebida; a mulher carrega o legado severino. Tem consequências. Desde sempre, minha mãe é dor de cabeça. Tem crises de enxaquecas terríveis, pioradas a cada ano pelo remédio que não melhora, apenas torna ainda mais intensa a próxima crise. Mas ela está dependente. A força sucumbe à dor. Há um mês, ela ficou em casa por uma semana. Eu lhe dei água. “Tome como remédio, mãe.” Ela tomou, franzindo o rosto, e a dor de cabeça que ameaçava piorar recuou. Água hidrata, água é remédio para enxaqueca, água é saúde, água combate a endometriose. Água também é fonte de doenças.

Quando estávamos em busca de um sítio, conhecemos um lugar que mistura a terra arenosa com o Cerrado e a Mata Atlântica. Manancial de águas que abastece o Aquífero Guarani, cravado de milhares e milhares de árvores de eucaliptos que secam as nascentes e poluem os lençóis de água com um remédio que lhes injetam no lenho – roundup, um agrotóxico nocivo da Monsanto, utilizado pelas grandes indústrias de papéis instaladas na região.

Mas aquele sítio ficava relativamente longe dessa plantação de papel, ao lado de uma montanha de perder o fôlego, ainda coberta pela mais exuberante mata nativa. Para avaliar se valia a pena adquirir o sítio, investigamos, entre outras coisas, a qualidade daquela água. Fiz a coleta em garrafas pet e mandamos as amostras para o laboratório de uma universidade pública. A água atendia a quase todos os parâmetros de potabilidade, mas tinha quatro vezes mais ferro do que o recomendado. Conversei com o professor responsável pela análise e ele me explicou que o ferro em excesso poderia causar problemas de desenvolvimento em crianças e fibromialgia em adultos. O dono daquele paraíso, um senhor dedicado à agricultura em terra arenosa de montanha, sofria justamente de um quadro grave de fibromialgia. Há tecnologias disponíveis para filtrar a água e retirar o excesso do ferro, como fazem em um bairro colonizado por descendentes de alemães em Botucatu. Depois que as crianças da escola rural começaram a apresentar sintomas relacionados à água, a escola instalou o tal filtro, contou-me o professor.

A água que bebemos interfere em nossa saúde.

Para esse professor, embora haja um marketing em torno da “água leve”, com poucos minerais, ele pessoalmente ressalta a importância da água com maior quantidade de cálcio e magnésio, e menor quantidade de sódio, por exemplo. Eu costumo tomar água mineral, com um índice maior de cálcio (é possível ver no rótulo das garrafas e comparar, avaliando principalmente a quantidade de sódio), filtrada em filtro de barro. O ideal seria tomar água de nascente preservada, ter um sítio, cuidar bem do manancial, usar água que não tenha passado por garrafas de plástico, pois elas contêm substâncias que provocam desequilíbrio hormonal e aumentam o estrógeno no corpo. Mas faço o que é possível. Meu possível é não tomar água de torneira, nem mesmo filtrada. Uso água mineral até para cozinhar. Mas se o orçamento não permite, penso que é importante, ao menos, usar água mineral para beber.

Por que a água da torneira, mesmo filtrada, pode representar um risco sério para a saúde?

A água que abastece as casas está contaminada por inúmeras substâncias. Os sistemas de coleta e tratamento de esgotos não são adequados. Por isso, ocorre uma contaminação das nascentes e rios. A água de esgoto está carregada de fármacos (hormônios de anticoncepcionais, hormônios que tratam doenças, anti-inflamatórios, antibióticos, antidepressivos, analgésicos, anti-hipertensivo etc), poluentes de indústrias, agrotóxicos e subprodutos utilizados na agricultura etc. Essa água poluída atinge a água de abastecimento das cidades. Os tratamentos disponíveis atualmente não eliminam essas substâncias. Além disso, acrescentam outras substâncias para limpar a água que são carcinogênicas. Quando essa água chega às residências, os filtros podem até eliminar agentes físicos-biológicos, mas são incapazes de eliminar essas substâncias químicas. Para a mulher com endometriose, o risco real é beber água com hormônio, ingerir estrógeno via líquido, entre outros medicamentos à contragosto, ainda que a quantidade não seja a mesma encontrada em remédios. 

Aqui estão listadas algumas pesquisas sobre a contaminação da água:

Desreguladores endócrinos e fármacos na água potável – A endometriose é caracterizada como uma desordem hormonal. A água potável está contaminada por substâncias conhecidas como desreguladores endócrinos que interferem em todo o equilíbrio hormonal do corpo, causando problemas nos órgãos reprodutivos, afetando toda a saúde. Hormônios sintéticos e naturais, dioxinas, bisfenol, remédios, compostos cafeinados, pesticidas, medicamentos veterinários e dezenas de outras substâncias estão presentes na água provocando aumento do câncer em homens (testículo e próstata), aumento de doenças ginecológicas, puberdade precoce, problemas de desenvolvimento em crianças, abortos, resistência a antibióticos, infertilidade, entre outras graves doenças, além de graves problemas ambientais. A indústria farmacêutica, sobretudo, tem sido um problema de saúde pública e ambiental. (Excelente pesquisa, realizada por pesquisadores canadenses, publicada no Journal Water and Health. Veja aqui: Endocrine disrupting compounds (EDCs) and pharmaceuticals and personal care products (PPCPs) in the aquatic environment: implications for the drinking water industry and global environmental health).

Contaminação da água engarrafada – Sobre a qualidade da água engarrafada, o Le Monde publicou um artigo bem interessante. Um estudo publicado recentemente mostra que a água engarrafada contém moléculas medicamentosas ou disruptores endócrinos. A análise constatou que 10% das garrafas tinham vestígios de tamoxifeno, hormônio sintético para tratar câncer de mama. Foram encontrados vestígios de um perigoso pesticida proibido em 2001, o atrazina. Já os galões de água, constantemente reutilizados, liberam uma concentração de bisfenol A, um dos causadores de endometriose, por exemplo. "Essas constatações revelam até que ponto nosso meio ambiente está contaminado. Não estamos questionando a potabilidade da água, mas sim os possíveis efeitos da mistura entre várias moléculas e as consequências dessas contaminações a longo prazo", diz Emmanuel Poilâne, da France Libertés. Ainda é muito melhor beber água mineral do que água de torneira filtrada. Nenhum filtro retira da água a quantidade de hormônios, medicamentos e contaminantes sintéticos presentes na água “tratada” que chega pela torneira.

Arsênico na água potável – O arsênico está entre os metais mais perigosos para saúde humana. Pequenas quantidades de arsênico podem causar problemas respiratórios em crianças e adultos, doenças cardiovasculares, diabetes e câncer. Para se ter uma ideia do problema, pesquisadores constataram que 24% das mortes por doenças crônicas em Bangladesh podem ter sido provocadas pela ingestão de água contaminada por arsênico. Geralmente, as águas de poço estão contaminadas por arsênico (Veja no jornal New York Times). No Brasil, as áreas de maior risco são as que têm ou tiveram mineração (Quadrilátero Ferrífero, Vale do Riberia etc).

Água, pressão arterial e síndrome metabólica – Se a água que bebemos não tem níveis adequados de magnésio, aumentam as chances de hipertensão e diabetes tipo 2. Pesquisa publicada no Journal Water and Health).

Contaminação química da água potável na Inglaterra e no País de Gales – De 2006 a 2008, foram relatados 82 incidentes de contaminação química da água potável nesses dois países, representando uma séria ameaça à saúde dos consumidores. Foram encontrados elevados níveis de alumínio, manganês, solventes, fármacos na água tratada, que têm efeitos adversos para a saúde. (Pesquisa publicada no Journal Water and Health).  

Veja alguns benefícios da água mineral pura:

Água potável pode diminuir o risco de diabetes – Há muitas razões para se hidratar, uma delas é a prevenção do diabetes. A água diminui a concentração de açúcar no sangue. A água controla o hormônio vasopressina (Veja no jornal New York Times). Portanto, a ingestão adequada de água pura nos protege também contra a endometriose, que está associada à resistência à insulina.

Regulação dos líquidos corpóreos – A água regula o equilíbrio de líquidos no corpo. Isso é muito importante, pois 60% do nosso corpo é água.

 Beber água ajuda a perder peso.

Os músculos precisam de água – A água dá energia aos músculos. Sem água, eles diminuem sua função, murcham. Por isso, o ideal é se hidratar sempre, principalmente durante os exercícios físicos. Beba água durante e após os exercícios.

Beneficia a pele – Retarda o envelhecimento.

Beneficia os rins – Os rins eliminam toxinas de maneira muito eficiente, desde que haja água suficiente. As principais toxinas no corpo são solúveis em água, por isso para eliminá-las é necessário ingerir água na medida certa.

 Beber bastante água resolve 70% das infecções urinárias – Quando há queimação ou outro sintoma que pode indicar infecção urinária, a ingestão de mais de dois litros de água é essencial. Quando sentia alguma queimação que acho que poderia ser decorrente da endometriose ou do excesso de consumo de sal, eu tomava copos e copos de água. O resultado sempre foi muito positivo.

 Beneficia o intestino – Eu não tenho problemas intestinais, mesmo tendo endometriose no intestino. Ele funciona regularmente, todos os dias. Mas nem sempre foi assim. Eu sentia dores a cada evacuação, independentemente do ciclo. Além disso, as fezes não tinham aspecto normal. Tenho certeza de que, além de toda mudança de estilo de vida, um dos maiores benefícios para regularizar minhas funções intestinais é a água pura, entre os intervalos das refeições. “Hidratação adequada mantém fluxo no trato gastrointestinal e evita prisão de ventre. Quando você não há bastante líquido, o cólon puxa água de fezes para manter a hidratação. O resultado é a constipação.” A adequada ingestão de líquidos e fibras é a combinação perfeita, porque age como uma vassoura para manter o funcionamento do intestino corretamente. (Veja aqui).

Seguem recomendações para a ingestão de água:

Beber de seis a oito copos de água pura por dia. Cada pessoa tem uma necessidade hídrica específica, em função das atividades, da altura, peso, condições de saúde etc. Essa é uma recomendação mínima de ingestão de água.

Evitar tomar líquido com as refeições. Tomar água 30 minutos antes e duas horas depois das refeições.

Distribuir a ingestão de água durante todo o dia. Eu tomo dois copos de água e um limão de manhã, em jejum, 30 minutos antes da refeição. Está circulando um e-mail que diz que o hábito de tomar dois copos de água de manhã, em jejum, e o hábito de não misturar líquido com comida podem ajudar a curar várias doenças. Minha experiência demonstra que esses simples hábitos são realmente importante para a saúde. Durante o dia, eu tomo água regularmente, sem concentrar toda a ingestão em um ou outro momento.

Tomar água mineral pura, em temperatura ambiente ou levemente morna, mas nunca gelada.

 Evitar garrafinhas de plástico. Caso não seja possível, não deixá-las ao sol. Se possível, utilizar o filtro de barro.

Substituir as bebidas. No intervalo das refeições, trocar sucos (mesmo que sejam sucos naturais) ou refrigerantes por água mineral pura.

Obedecer ao corpo. Beba água pura. Quando sentir vontade de ir ao banheiro, mesmo que tenha que sair com frequência do local de trabalho, por exemplo, vá ao banheiro. A água nos movimenta. “A maior recomendação para a prevenção da cistite realmente é, além da ingestão de muita água, urinar periodicamente para lavar bem a bexiga e a uretra. [...] Mulheres que seguram muito a urina ou que deixam para usar o banheiro apenas quando estão em casa também têm mais chances de terem cistite" (Ver aqui).

Nasci na cidade das águas, Águas de Lindoia. Minha experiência da infância foi bem diferente da que minha mãe teve. Sempre tive uma ligação com a água, cresci no planeta água. A experiência de beber água no Balneário com o paisagismo de Burle Marx, as brincadeiras do lado das fontes, os azulejos em mosaico de Lívio Abramo derramando o azul, o quadro simples com recortes de jornais falando das propriedades curativas daquele líquido me deu senso de respeito. Água. Simplesmente, água. Além da água-bebida, há inúmeros tratamentos hidroterápicos capazes de restituir a saúde e combater graves doenças, que podem ser feitos em casa. O Balneário de Águas, uma instituição que luta para sobreviver e está em constante ameaça, oferece dezenas de tratamentos hidroterápicos (Veja o site). Mas quem acredita que a água também cura?

Há um entrelaçamento entre a saúde e o meio ambiente, o respeito ao próprio corpo e ao corpo da terra, a urgência em banhar as células e manter limpas as águas, preservando-as, recuperando-as, conhecendo-as. Somos água também. A semente vive em água, respira como peixe, enquanto cresce aquecida chutando com os pezinhos.

A água que bebemos revela muito de nós mesmos. A pérola de grande preço é também ouro azul (Há um documentário muito bem feito sobre a crise da água: Ouro Azul). A água nossa de cada dia pode ser fonte de água viva. Mas as células estão ameaçadas pela falta de sede; a sede pela ausência de água pura, em terra de consciências desertificadas.




4 comentários:

  1. Olá tudo bem?essa semana eu comecei empolgada decidi sair do sedentarismo e estou fazendo caminhada...já no primeiro dia já me senti outra pessoa mais feliz mais calma dormi melhor...e tbm estou mais atenta a minha alimentação estou investindo mais nos sucos naturais e diminui a quantidade de comida nas refeições...água tomo sempre e agora ainda mais...enfim estou me sentindo bem melhor mentalmente tbm e c a vida...continue orando por mim...Que Deus abençoe sua vida grandemente...um grande abraço... Deixo p sua meditação 1co 13:13...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caminhar é meu esporte preferido. Acalma, renova, me faz bem. Favorece o sono também, e dormir bem é essencial para a saúde. O alimento certo, a água pura são vida. Obrigada por compartilhar sua experiência, pela mensagem de amor de Coríntios. A essência da vida. A linguagem da saúde, mesmo vinda de porta-vozes da “vida natural”, não é e nunca será mais importante que a linguagem do amor. Isso me faz lembrar Renato Russo, que inspirado pelo apóstolo Paulo, cantou:

      Ainda que eu falasse
      A língua dos homens
      E falasse a língua dos anjos
      Sem amor eu nada seria

      É só o amor! É só o amor
      Que conhece o que é verdade
      O amor é bom, não quer o mal
      Não sente inveja ou se envaidece

      O amor é o fogo que arde sem se ver
      É ferida que dói e não se sente
      É um contentamento descontente
      É dor que desatina sem doer

      Ainda que eu falasse
      A língua dos homens
      E falasse a língua dos anjos
      Sem amor eu nada seria

      É um não querer mais que bem querer
      É solitário andar por entre a gente
      É um não contentar-se de contente
      É cuidar que se ganha em se perder

      É um estar-se preso por vontade
      É servir a quem vence, o vencedor
      É um ter com quem nos mata a lealdade
      Tão contrário a si é o mesmo amor

      Estou acordado e todos dormem
      Todos dormem. Todos dormem
      Agora vejo em parte
      Mas então veremos face a face

      É só o amor! É só o amor
      Que conhece o que é verdade

      Ainda que eu falasse
      A língua dos homens
      E falasse a língua dos anjos
      Sem amor eu nada seria
      (Monte Castelo/Legião Urbana)

      Excluir
  2. Qual marca de água mineral você consome ou recomenda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu compro água mineral da Minalba (tem bastante cálcio), Prata, Lindoia... É bom escolher uma água com menor teor de sódio. Tem um site que informa a composição das diversas marcas de água vendidas no Brasil. Muito útil para fazer a comparação e escolher a água que melhor atende às necessidades individuais. Este é o link: http://www.rioserv.com.br/laudotec.html

      Excluir